Mercados

Ações na Ásia apontam para queda com receios renovados de recessão

Período de volatilidade do mercado global se estende à medida que a política monetária aperta para combater a inflação

Reequilíbrio do portfólio no final do mês e do trimestre também pode afetar os fluxos de negociação
Por Andreea Papuc
28 de Junho, 2022 | 08:16 pm
Tempo de leitura: 2 minutos

Bloomberg — As ações têm sessão de perdas na Ásia na quarta-feira com preocupações renovadas sobre uma perspectiva econômica sombria, estendendo um período de volatilidade do mercado global à medida que a política monetária aperta para combater a inflação.

Os futuros caíam no Japão, Austrália e Hong Kong. Os contratos dos Estados Unidos oscilaram depois que o S&P 500 afundou e o Nasdaq 100, pesado em tecnologia, caiu mais de 3%. O reequilíbrio do portfólio no final do mês e do trimestre também pode afetar os fluxos de negociação.

O fim da confiança do consumidor dos EUA em meio a um aumento no spread do custo de vida agita a sessão dos EUA, empurrando a cotação do dólar mais alta em mais de uma semana e deixando os rendimentos do Tesouro mais baixos.

Essas preocupações ofuscaram o movimento da China na terça-feira (27) para reduzir os tempos de quarentena para viajantes que chegam. A medida elevou os mercados na esperança de se afastar de uma estratégia de erradicar a covid que vem com grande custo econômico por meio de repetidos bloqueios.

PUBLICIDADE

O petróleo manteve ganhos, e era negociado à vista a US$ 112 o barril. Em criptomoedas, o bitcoin (BTUSD) rondava em torno de US$ 20.000 em meio a um sentimento ruim.

Os investidores parecem céticos de que o Federal Reserve possa evitar desencadear uma desaceleração econômica em meio a fortes aumentos nas taxas de juros para reprimir as pressões de preços.

“O Fed ainda acredita que pode traçar essa linha muito tênue entre o aperto das condições financeiras sem prejudicar muito a economia”, disse Emily Weis, macroestrategista da State Street, à Bloomberg TV. “Ainda não temos certeza de que eles serão capazes de fazer isso. Isso é o que vimos refletido nos mercados ao longo do último mês.”

Na China, o passo recente para reduzir a quarentena para viajantes de entrada levou a um rali de alívio, mas a política de Covid-zero ainda está bem arraigada, o que provavelmente levará a interrupções regulares na reabertura, acrescentou.

PUBLICIDADE

Autoridades americanas procuraram minimizar o risco de recessão. O presidente do Fed de Nova York, John Williams, e Mary Daly, de São Francisco, reconheceram que precisavam esfriar a inflação, mas insistiram que um pouso suave ainda era possível.

Na Europa, a presidente do banco central, Christine Lagarde, afirmou planos para um aumento inicial da taxa de um quarto de ponto em julho, mas disse que os formuladores de políticas estão prontos para intensificar as ações para combater a inflação recorde, se necessário.

Veja mais em Bloomberg.com

Leia também

Alívio à vista: Inflação de alimentos começa a mostrar sinais de queda

PUBLICIDADE