Mercados

GetNinjas: qual o piso para as ações? Monashees reduz posição para 2,15%

Um dos VCs pioneiros na América Latina vendeu 3,2 milhões de ações do marketplace de serviços; papeis acumulam queda de 87% desde o IPO

O CEO da GetNinjas, Eduardo L'Hotellier:
27 de Junho, 2022 | 07:16 pm
Tempo de leitura: 2 minutos

Bloomberg Línea — A investidora de venture capital brasileira Monashees vendeu cerca de 6% de seu capital na GetNinjas (NINJ3), para cerca de 2,15%, com as ações em queda de 87% desde o IPO na bolsa brasileira B3, em maio de 2021. A GetNinjas fechou o pregão desta segunda-feira (27) com o preço de R$ 2,60 por ação, próximo ao seu piso histórico. No IPO, o papel foi precificado a R$ 20,00.

A Monashees levantou aproximadamente R$ 8,3 milhões com a venda de 3.239.908 ações de sua participação de 8% e agora detém 1.076.813 papéis da plataforma digital que conecta provedores de serviço a usuários. A venda é significativa e simbólica porque a pioneira de venture capital na América Latina foi uma das primeiras investidoras na GetNinjas, junto com a Kaszek em 2011.

Entre as empresas que ainda detêm a maior parte do capital da GetNinjas estão a Verde Asset Management, de Luis Stuhlberger, e a Tiger Global Management, de Chase Coleman. Mas diferentes investidores estão desmontando posição na empresa nos últimos meses. Dados da Bloomberg mostram que a Tropico Latin America Investments vendeu 8.600 ações (zerando a posição) em maio, seguida pelo Banco do Brasil, que vendeu 6.000, e o BTG Pactual, que vendeu 17.700 no mês passado.

Outro acionista relevante da empresa disse à Bloomberg Línea, sob condição de anonimato, que venderá as participações em algum momento, mas não agora, quando os preços estão baixos.

PUBLICIDADE

Em relatório sobre a empresa, o JP Morgan considera que a GetNinjas pode atingir o breakeven em breve, ajudada pelos juros altos sobre sua posição de caixa. A empresa tinha R$ 290 milhões em caixa ao fim do primeiro trimestre. O valor de mercado da empresa era de R$ 129 milhões na sexta (24).

Questionado pela Bloomberg Línea, o CEO da GetNinjas, Eduardo L’Hotellier, disse não discutir guidance (projeções) no detalhe, mas que a ideia geral de juros ajudando a posição de caixa da empresa faz sentido.

“O setor de serviços é enorme e representa cerca de 70% do PIB [Produto Interno Bruto], segundo o IBGE [Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística], sendo que temos apenas 0,1% de penetração por meio da plataforma [em Gross Merchandise Value]”, disse o CEO, por e-mail.

“Sei que temos um longo caminho a ser percorrido e, com o acelerado processo da digitalização do mercado, estamos construindo uma marca de referência e de amplo reconhecimento para contratação de serviços online no Brasil, por meio de um modelo de negócio horizontal e que é diferenciado neste segmento”, afirmou o executivo.

PUBLICIDADE

L’Hotellier disse ter vendido uma pequena parte de suas ações na GetNinjas no âmbito da oferta pública inicial, há cerca de um ano. “O maior ganho foi ter uma empresa com um caixa sólido em um momento tão difícil de mercado - meu maior patrimônio são as ações que possuo do GetNinjas.”

-- Com informações da Bloomberg News

Leia também:

Há coisas ‘que tiram mais o sono’ do que queda da ação, diz CEO da GetNinjas

Isabela  Fleischmann

Isabela Fleischmann BR

Jornalista brasileira especializada na cobertura de tecnologia, inovação e startups