Internacional

Economia da China mostra sinais de melhora após fim de bloqueios

Atividade se recuperou em junho depois que Xangai suspendeu medidas de confinamento, permitindo que negócios reabrissem

No entanto, o setor imobiliário continua a ser um peso para a economia
Por Bloomberg News
27 de Junho, 2022 | 08:28 am
Tempo de leitura: 2 minutos

Bloomberg — A economia da China mostrou sinais de melhora em junho com a flexibilização de restrições para combater o coronavírus, mas a recuperação ainda é tímida.

Um índice da Bloomberg que agrega indicadores preliminares retornou ao nível neutro este mês após se deteriorar por dois meses consecutivos.

A atividade econômica se recuperou em junho depois que Xangai suspendeu seu confinamento, permitindo que negócios reabrissem e que a maioria dos moradores saísse de casa. Houve uma recuperação na confiança das pequenas empresas, que voltou a crescer após dois meses de contração.

Uma pesquisa com mais de 500 empresas menores mostrou que “a demanda e a produção se recuperaram fortemente no setor manufatureiro”, e as empresas menores orientadas para a exportação tiveram desempenho superior, de acordo com Hunter Chan e Ding Shuang, economistas do Standard Chartered.

PUBLICIDADE

No entanto, “a recuperação das manufaturas foi mais significativa do que a dos serviços”, disseram. Os setores intensivos em contato, como varejo, continuaram a sofrer, enquanto transporte e tecnologia da informação relataram uma aceleração na atividade e a construção saltou.

O aumento da atividade ainda não se converteu em maior demanda por alguns materiais de construção. Mais usinas de aço estão paradas e os estoques nas principais siderúrgicas chinesas subiram 10,7% em meados de junho em relação ao início do mês. Eles já aumentaram cerca de 82% desde o início do ano.

Pequim prometeu impulsionar medidas políticas para apoiar o crescimento, e o presidente Xi Jinping disse na semana passada que a China vai se esforçar para cumprir as metas para o ano. As ações subiram nas últimas quatro semanas com o fim dos bloqueios, e os fluxos estrangeiros aumentaram.

No entanto, o setor imobiliário continua a ser um peso para a economia. As vendas de imóveis caíram nas primeiras três semanas de junho nas quatro principais cidades da China, embora as vendas em Xangai na semana passada tenham praticamente se recuperado para o nível anterior ao bloqueio.

PUBLICIDADE

Um índice oficial que rastreia as vendas de apartamentos e casas já caiu 11 meses consecutivos - um recorde desde que a China criou um mercado imobiliário privado na década de 1990. A queda provavelmente continuou em junho, com contração das vendas nas 50 maiores cidades.

O mercado automobilístico se recupera gradualmente. Com base em vendas nas duas primeiras semanas deste mês, mais carros foram vendidos em junho do que no mesmo período de 2021.

As vendas caíram nos últimos três meses. As restrições de covid levaram ao fechamento de fábricas e concessionárias e também impediram que pessoas em várias partes do país saíssem de casa para fazer compras.

Veja mais em bloomberg.com

Leia também

VidCon 2022: Fomos ao maior evento de TikTokers do mundo

Por que as ações ligadas a criptomoedas também são ativos de risco