Internacional

EUA e outras nações do G-7 prometem proibir novas importações de ouro russo

Líderes revelarão a promessa conjunta em uma cúpula na Alemanha que começa no domingo (26), segundo fontes

Promessa do G-7 marcaria uma separação total entre a Rússia e os dois principais centros comerciais do mundo, Londres e Nova York
Por Josh Wingrove e Jordan Fabian
25 de Junho, 2022 | 03:08 pm
Tempo de leitura: 2 minutos

Bloomberg — O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, e outros líderes do Grupo dos Sete devem concordar em anunciar a proibição de novas importações de ouro da Rússia, disse uma pessoa familiarizada com o plano à Bloomberg News.

Os líderes revelarão a promessa conjunta em uma cúpula na Alemanha que começa no domingo (26), disse a pessoa, falando sob condição de anonimato antes de um anúncio público. A proibição será aplicada ao ouro que sai da Rússia para os países do G-7 pela primeira vez. O Departamento do Tesouro dos EUA emitirá uma proibição na terça-feira, proibindo as importações dos EUA, disse a pessoa.

Embora as sanções ocidentais para punir a Rússia tenham fechado amplamente os mercados europeu e americano ao ouro da segunda maior mineradora de ouro do mundo, a promessa do G-7 marcaria uma separação total entre a Rússia e os dois principais centros comerciais do mundo, Londres e Nova York.

Londres tem sido um dos destinos mais importantes para os metais preciosos russos: os US$ 15 bilhões em ouro russo que chegaram lá no ano passado representaram 28% das importações de ouro do Reino Unido, segundo dados da UN Comtrade.

PUBLICIDADE

Os embarques entre a Rússia e Londres caíram para quase zero desde a invasão da Ucrânia. A London Bullion Market Association, que estabelece padrões para o mercado de Londres, removeu as refinarias de ouro russas de sua lista credenciada, um movimento que foi visto como uma lista proibida de novos metais preciosos da Rússia.

Uma ordem executiva assinada por Biden em 15 de abril proíbe explicitamente os norte-americanos de se envolverem em transações relacionadas ao ouro envolvendo o banco central da Rússia, o Fundo Nacional de Riqueza do país ou seu ministério das finanças.

Embora as refinarias, em teoria, ainda pudessem importar ouro russo diretamente, a maioria desistiu de fazê-lo. A associação de refinadores suíços, que dominam o setor, negou que seus membros tenham comprado ouro da Rússia depois que dados comerciais indicaram que o ouro do país havia entrado no país.

Os fluxos de outros metais da Rússia, como cobre, níquel e paládio, continuaram à medida que a indústria de commodities lida com o gerenciamento de um relacionamento de longa data com um importante fornecedor de matérias-primas do mundo.

PUBLICIDADE

Enquanto isso, a indústria de ouro da Rússia busca novas opções de vendas, como exportar mais para a China e o Oriente Médio, que não fazem parte do G-7.

--Com a colaboração de Eddie Spence

Leia também

As melhores cidades do mundo para se viver em 2022

PUBLICIDADE