PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Mercados

S&P 500 caminha para pior primeiro semestre em mais de 50 anos

Índice não tinha primeira metade do ano tão negativa desde 1970. A sete pregões do fim de junho, queda acumulada desde o início do ano é de 21%

O S&P 500 voltou a cair no início da semana passada, antes de se recuperar acentuadamente na terça-feira (21)
22 de Junho, 2022 | 10:47 am
Tempo de leitura: 1 minuto

Bloomberg — O S&P 500 está a caminho de seu pior primeiro semestre desde a presidência de Richard Nixon nos Estados Unidos.

PUBLICIDADE

Com sete dias de negociação restantes em junho, o índice caiu 21% desde o início do ano, em meio a expectativas de que uma combinação de inflação alta e um Federal Reserve, o banco central americano, apertando a política monetária a ponto de poder levar a economia dos EUA à recessão. A última vez que o S&P 500 caiu tanto nos primeiros seis meses de qualquer ano foi em 1970, segundo dados compilados pela Bloomberg.

Segundo Manish Kabra, estrategista do Société Générale, um choque inflacionário como o da década de 1970 poderia fazer o índice cair 33% dos níveis atuais para 2.525, em um contexto de estagnação com inflação mais alta.

PUBLICIDADE

A interpretação-chave da década de 1970 é o risco de que, se os investidores começarem a acreditar que a inflação permanecerá alta por mais tempo, os mercados acionários começarão a se concentrar na taxa real de lucro por ação em vez da taxa nominal, o que para este ano é provável ser negativo, disse SocGen.

O S&P 500 voltou a cair no início da semana passada, antes de se recuperar acentuadamente na terça-feira (21). No entanto, os futuros dos EUA indicavam nesta quarta-feira que a recuperação pode ser de curta duração. Os investidores estão se preparando hoje para o depoimento do presidente do Fed, Jerome Powell, no Senado, onde se espera que ele reforce o compromisso de combater as pressões inflacionárias.

Leia também

As apostas destas 3 gestoras globais para investir com inflação e juros altos