PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Saúde

Ciclo constante de restrições de covid vira rotina na China

Medidas de mitigação instantâneas ocorrem mesmo com a China relatando apenas 22 novas infecções em todo o país na terça

Houve duas infecções na segunda-feira e nenhuma na terça em Shenzhen, onde foram impostas ordens de isolamento para alguns conjuntos habitacionais
Por Bloomberg News
22 de Junho, 2022 | 01:00 pm
Tempo de leitura: 2 minutos

Bloomberg — As cidades chinesas que estavam em confinamento há apenas alguns meses impõem restrições novamente à medida que a política de tolerância zero à pandemia mergulha o país em um ciclo constante de paradas imprevisíveis.

PUBLICIDADE

As medidas de mitigação instantâneas ocorrem quando a China relatou apenas 22 novas infecções em todo o país na terça-feira (21), o menor número de casos diários em mais de quatro meses.

Houve duas infecções na segunda-feira e nenhuma na terça em Shenzhen, onde foram impostas ordens de isolamento para alguns conjuntos habitacionais. O polo de tecnologia ficou sob confinamento em março.

PUBLICIDADE

Na cidade de Jilin, as autoridades fecharam o transporte público e pediram aos moradores que evitassem atividades desnecessárias em meio a testes em massa, após 10 casos serem identificados no início da semana. A província em que fica Jilin acabou de emergir de um longo confinamento em meados de abril.

A ação rápida é baseada na experiência de Xangai, que impôs um bloqueio rígido de dois meses depois que uma resposta inicialmente leve não conseguiu conter seu surto. As autoridades esperam que as restrições ajudem a acabar com os surtos e evitar medidas mais duras.

PUBLICIDADE

Para moradores e empresas, no entanto, a abordagem significa que há uma ameaça constante de novas medidas que podem inviabilizar a vida cotidiana.

Policiais em uma cabine de testes em Xangai em 20 de junho.Fotógrafo: Qilai Shen/Bloombergdfd

É um sentimento que Zheng, de 21 anos, um estudante universitário que pediu para ser identificado apenas por seu sobrenome, conhece bem. Embora ele tenha acabado de terminar seu terceiro ano de engenharia em uma universidade na cidade de Jilin, ele só participou de aulas presenciais por cinco meses nos últimos seis semestres. Isso inclui quatro meses durante seu primeiro semestre no final de 2019.

PUBLICIDADE

Desde que a covid surgiu, Zheng disse que ficou confinado no campus ou teve aulas on-line em casa. Os dias limitados e aleatórios de liberdade não ajudaram muito, disse ele, e ele não tem grandes expectativas para o próximo ano letivo.

PUBLICIDADE

A universidade pode adiar sua data de reabertura ou criar um campus fechado se houver casos de covid, mas nada se sabe atualmente, disse ele.

PUBLICIDADE

Os testes estão em toda parte nas duas maiores cidades da China, Xangai e Pequim, onde restrições direcionadas e rastreamento de contatos são rapidamente empregados para erradicar infecções. Xangai relatou oito casos, enquanto Pequim relatou seis na quarta-feira.

PUBLICIDADE

Houve outras três infecções na comunidade local encontradas na capital na quarta-feira, disseram autoridades. Todas foram encontradas na Área de Desenvolvimento Econômico e Tecnológico de Pequim, sede da JD.com, onde uma unidade de testes em massa foi implementada até sexta-feira. Um bloqueio foi descartado para minimizar a perturbação na área.

PUBLICIDADE

Veja mais em bloomberg.com

PUBLICIDADE

Leia também

Citigroup: Chance de uma recessão global já se aproxima de 50%