PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Internacional

EUA precisam de desemprego acima de 5% para segurar inflação, diz ex-secretário

Lawrence Summers, ex-secretário do Tesouro americano, disse que desemprego precisaria ficar mais alto por até cinco anos

Lawrence Summers
Por Philip Aldrick
21 de Junho, 2022 | 10:55 am
Tempo de leitura: 2 minutos

Bloomberg — O ex-secretário do Tesouro americano Lawrence Summers disse que a taxa de desemprego nos EUA precisaria subir acima de 5% por um período sustentado para conter a inflação mais alta em quatro décadas.

“Precisamos de cinco anos de desemprego acima de 5% para conter a inflação – em outras palavras, precisamos de dois anos de desemprego de 7,5% ou cinco anos de desemprego de 6% ou um ano de desemprego de 10%”, disse Summers em um discurso em Londres segunda-feira.

Os formuladores de política monetária do Fed subiram juros em 0,75 ponto percentual na quarta-feira, o maior aumento desde 1994. Em suas perspectivas, eles sinalizaram que veem queda da inflação de mais de 6% hoje para menos de 3% no próximo ano e perto de 2% em 2024. A previsão mediana mostra alta no desemprego de 3,6% em maio para 4,1% até 2024.

Larry SummersSource: Bloombergdfd

“A diferença entre 7,5% de desemprego por dois anos e 4,1% de desemprego por um ano é imensa”, disse Summers, professor da Universidade de Harvard e colaborador pago da Bloomberg Television. “Será que o nosso banco central está preparado para fazer o que for necessário para estabilizar a inflação se algo como o que eu estimei for necessário?”

PUBLICIDADE

O Fed disse na sexta-feira que fará o que for necessário para controlar os preços, reiterando que a estabilidade de preços é necessária para apoiar um mercado de trabalho forte e chamando seu compromisso de conter a inflação de “incondicional”.

Summers repetiu suas afirmações anteriores de que a tarefa do Fed de moderar os ganhos de preços é semelhante em escala à do ex-presidente Paul Volcker, que teve que arquitetar uma recessão profunda e desemprego de dois dígitos há 40 anos para controlar a inflação.

“Os EUA podem precisar de um aperto monetário tão severo quanto Paul Volcker fez no final dos anos 70 e início dos anos 80”, disse Summers.

Ele disse que o banco central deve deixar de fornecer comunicação ao público sobre o provável curso futuro da política monetária.

PUBLICIDADE

“O retorno à humildade, o abandono da estimativa para o futuro como ferramenta política é totalmente apropriado”, disse Summers. “É provável que seja necessário fazer escolhas muito mais difíceis do que as já contempladas.”

“Temo que teremos elementos de estagnação secular e estagflação secular”, disse ele.

Veja mais em bloomberg.com

Leia também

Gabriel Medina rema contra a maré e cria fundo para investir em startups

QuintoAndar define prioridades e inicia expansão regional com operação no México