Internacional

Xangai volta a proibir entrada em restaurantes poucos dias após flexibilizações

Novo surto gera temores de que estratégia de “zero covid” possa levar a repetidas aberturas e lockdowns, ameaçando a retomada econômica

Cidades chinesas voltam a impor restrições e retomam testes em massa para o coronavírus diante do aumento no número de casos da doença
Por Bloomberg News
12 de Junho, 2022 | 08:48 am
Tempo de leitura: 2 minutos

Bloomberg — Xangai voltou a proibir refeições em salão de restaurantes na maioria do distritos e puniu uma dúzia de funcionários locais por um lapso de gestão em um hotel de quarentena, em meio ao avanço no número de infecções pela covid-19 no centro financeiro chinês e na capital Pequim.

No sábado, 29 casos de covid foram relatados em Xangai, sendo quatro deles reportados fora das áreas de quarentena. Pequim descobriu 65 casos no mesmo dia, todos ligados a uma aglomeração em um bar popular.

Diante dos novos surtos poucos dias após uma flexibilização das restrições que estavam em vigor há meses, Xangai e Pequim retomaram os testes em massa para o coronavírus. A rápida escalada aumenta a preocupação de que a estratégia de “zero covid” da China possa levar as cidades a repetidos lockdowns e reaberturas, ameaçando uma recuperação econômica sustentável.

O Ministro da Defesa Wei Fenghe elogiou no domingo (12) a política de “zero covid” da China, dizendo que o país é um dos mais seguros do mundo com a taxa mais baixa de mortalidade induzida pela covid-19. Em um discurso na maior conferência de segurança da Ásia em Cingapura, Wei chamou a resposta à covid da China de “milagre” e disse que seu sucesso é uma grande contribuição para a luta global contra a pandemia.

PUBLICIDADE

Xangai flexibilizou seu bloqueio de dois meses em 1º de junho, mas fechou brevemente a maior parte da cidade no sábado (11) para realizar testes em massa. Os restaurantes foram notificados na sexta-feira (10) para suspender os serviços de refeições, enquanto as retiradas e delivery ainda eram permitidos, de acordo com uma reportagem da mídia local.

O pior surto da doença na cidade começou em março, em parte devido a lapsos em um hotel de quarentena. Uma dúzia de funcionários do distrito de Xuhui foram demitidos de seus postos ou receberam advertências após uma má prática na implementação de medidas de quarentena que levaram a infecções no Hotel Hua Ting em março, disse o governo de Xangai no sábado (11). Eles incluíam um secretário do partido, o chefe do distrito e dois vice-governadores de distrito.

Pequim, que recuou de algumas de suas restrições no início da semana passada, está atrasando uma reabertura que estava planejada para a maioria das escolas na próxima segunda-feira (13). Uma nova data ainda não foi marcada.

Veja mais em Bloomberg.com

PUBLICIDADE

Leia também:

Retomada do turismo: quais desafios enfrentam as agências de viagem?

PUBLICIDADE