Mercados

China impulsiona mercados com reabertura e alívio a gigantes como Didi

Agenda de hoje é fraca no front macroeconômico, mas na semana há decisão sobre juros do BCE e inflação ao consumidor dos EUA

As variáveis que orientarão os mercados
06 de Junho, 2022 | 08:40 am
Tempo de leitura: 3 minutos

Barcelona, Espanha — (Esta é a versão atualizada e ampliada da notícia publicada originalmente às 6h59)

A semana começa com poucas referências macroeconômicas, mas promete muita emoção no decorrer dos dias: o Banco Central Europeu (BCE) anuncia na quinta-feira o rumo de sua política monetária e, na sexta, os Estados Unidos divulgam o seu Índice de Preços ao Consumidor (IPC). Nesta manhã de segunda-feira, o fluxo de notícias da China é o catalisador para a valorização nos mercados acionários, que sobem em uníssono tanto na Europa quanto nos EUA.

Os caçadores de pechinchas aproveitavam a forte queda das ações na sexta-feira para comprar ativos a baixos preços. Grande parte do apetite por risco o alívio da China às severas restrições à mobilidade para conter a Covid-19. Com o retorno gradual do gigante asiático à normalidade, as preocupações com a alta dos preços e as interrupções das cadeias de abastecimento se atenuam.

📈 Mais um empurrão da China. Os reguladores chineses estariam se preparando para encerrar sua investigação sobre a Didi Global Inc. e permitir, nesta semana, que a gigante de carona volte a adicionar usuários à sua base de clientes, informou o Wall Street Journal. O governo chinês havia proibido a companhia de oferecer sua app nas lojas de aplicativos por uso indevido de dados. Os reguladores também estão concluindo suas investigações sobre segurança de dados em duas outras empresas, Full Truck Alliance Co. e a plataforma de recrutamento online Kanzhun Ltd., acrescentou o jornal, que não revelou suas fontes.

PUBLICIDADE

Espera-se que as três empresas enfrentem penalidades financeiras, incluindo uma multa relativamente grande para a Didi, cujas ações chegaram a disparar 52% nas operações prévias à abertura das bolsas de Nova York. Os papéis ajudaram o índice Hang Seng Tech a subir 4,6% em Hong Kong.

🆙 Outros gigantes da tecnologia embarcaram neste clima festivo: A Apple Inc subia há pouco 1,6%, a Tesla avançava depois de cair mais de 9% no fechamento da sexta-feira, enquanto a Amazon Inc ganhava depois de encenar uma divisão de estoque de 20 por 1.

O petróleo caminha para três meses de alta mesmo com os sinais de que a Arábia Saudita aumentará sua oferta. O aumento dos preços dos combustíveis tem sido uma constante este ano, enquanto a OPEP+ procura acelerar a produção. Os títulos do Tesouro a 10 anos embutiam prêmios mais altos

🇪🇺 A dose de aperto... Como será? Espera-se que o BCE inicie a contagem regressiva para um aumento dos juros em julho, unindo-se à campanha de seus pares globais para controlar uma inflação recorde. Além de proferir seu veredito sobre juros, o BCE se prepara esta semana para anunciar o fim das compras de títulos. Segundo reportagem do Financial Times, a autoridade monetária estaria comprometida a apoiar os mercados de dívida da Zona do Euro mais vulneráveis, no caso de estes serem atingidos por uma venda massiva de títulos.

PUBLICIDADE

→ Leia o Breakfast, uma newsletter da Bloomberg Línea: O “Metaplano” do Facebook para a América Latina

Uma instantânea dos mercadosdfd

🟢 As bolsas na sexta: Dow Jones Industrial (-1,05%), S&P 500 (-1,63%), Nasdaq Composite (-2,47%), Stoxx 600 (-0,26%), Ibovespa (-1,15%)

Em Wall Street, pesou negativamente a afirmação de Elon Musk, CEO da Tesla, de que a montadora de carros elétricos precisa cortar cerca de 10% do seu quadro de funcionários em meio a uma perspectiva “muito ruim” da economia. As ações da companhia caíram 9,2% na Nasdaq, a US$ 703,55. O relatório de emprego (payroll) da maior economia do mundo, e como estes dados podem afetar o ritmo de aperto da política monetária do Fed, também contribuíram para a mau humor.

Na agenda

Esta é a agenda prevista para hoje:

• EUA: Índice de Tendência de Emprego/Mai

• Europa: Reino Unido (Vendas no Varejo do BRC/Mai); Espanha (Confiança do Consumidor)

• Ásia: Japão (Massa Salarial Geral de Empregados/Abr; Rendimento Médio do Trabalhador)

• América Latina: Brasil (Boletim Focus, Balança Comercial (Mai); Fluxo Cambial Estrangeiro); México (Investimento Fixo Bruto/Mar)

PUBLICIDADE

• Bancos centrais: Discurso de Haruhiko Kuroda (presidente do BoJ)

📌 Para a semana:

• Terça-feira: Decisão sobre juros do banco central da Austrália; Relatório “Perspectivas Econômicas Globais” do Banco Mundial

• Quarta-feira: Decisão sobre juros do banco central da Índia; OCDE divulga relatório bianual sobre as principais tendências econômicas globais e perspectivas para os próximos dois anos

• Quinta-feira: Decisão de política monetária do Banco Central Europeu (BCE) e entrevista de sua presidente, Christine Lagarde. Dados sobre comércio e empréstimo da China.

PUBLICIDADE

• Sexta-feira: EUA: IPC e Sentimento do Consumidor da Universidade de Michigan. Índices de Preços ao Produtor e ao Consumidor da China

--Com informações da Bloomberg News

Michelly Teixeira

Michelly Teixeira

Jornalista com mais de 20 anos como editora e repórter. Em seus 12 anos de Espanha, trabalhou na Radio Nacional de España/RNE e colaborou com a agência REDD Intelligence. No Brasil, passou pelas redações do Valor, Agência Estado e Gazeta Mercantil. Tem um MBA em Finanças, é pós-graduada em Marketing e cursa um mestrado em Digital Business na Esade.