PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Cripto

Chefe de fintech afirma que criptomoedas são utilizadas em fraudes

Executiva-chefe do Starling Bank conta quando a empresa, apoiada pelo Goldman Sachs, deve abrir capital em Londres

Fintech conta com 2,9 milhões de contas de clientes, entre eles clientes corporativos
Por Ruth David
14 de Maio, 2022 | 11:13 am
Tempo de leitura: 2 minutos

Bloomberg — O Bitcoin (BTC) e as criptomoedas apresentam vários desafios para investidores e bancos, incluindo seu uso por criminosos, de acordo com Anne Boden, executiva-chefe do Starling Bank.

As pessoas estão caindo em golpes, e o dinheiro normalmente vai para carteiras de criptomoedas”, disse Boden em entrevista virtual à Bloomberg UK. Os ativos também estão em uma bolha de valuation e não são sustentáveis a longo prazo por causa dos problemas ambientais que causarão, disse ela.

PUBLICIDADE

No mês passado, o Starling levantou novos fundos em uma rodada que avaliou o negócio em mais de US$ 3,1 bilhões em um raro exemplo de uma fintech europeia que alcançou um valor que foi o dobro do nível de sua rodada anterior. Todos os seus investidores existentes participaram, incluindo o patrocinador inicial Harald McPike e uma unidade do Goldman Sachs (GS).

O banco pode abrir capital em Londres no final do ano que vem, disse Boden. O mercado de Londres é “mais difícil (do que os Estados Unidos) para empresas de tecnologia e empresas deficitárias”, mas o Starling é lucrativo, disse.

O crescimento futuro do Starling virá em parte da venda de sua plataforma de tecnologia personalizada, a Engine by Starling, para outras empresas que desejam oferecer serviços bancários, acredita Boden.

PUBLICIDADE

Em quatro a cinco anos, acredito que seremos uma empresa global de tecnologia que possui um banco no Reino Unido”, disse Boden.

“Grandes bancos em todo o mundo têm um grande problema – não é um problema de inovação, é um problema de base de custos e ficar preso a uma tecnologia ultrapassada”, disse Boden.

O Starling atendeu a consultas de outros bancos, inclusive nos EUA, sobre o uso de sua tecnologia. O Starling iria vendê-lo como um serviço de software, assim os usuários precisariam obter uma licença bancária de outra parte, disse ela.

Boden criou o Starling em 2014. O banco tem 2,9 milhões de contas de clientes, incluindo 450 mil de pequenas e médias empresas. Considerando sua participação de mercado, não pode mais ser chamado de ‘challenger bank’ no Reino Unido, disse ela.

O Starling não está à venda, disse Boden quando perguntado sobre as propostas de aquisição de rivais maiores. O próprio banco está em busca de aquisições, incluindo de plataformas de crédito.

Boden, ávida usuária do Twitter, que falava via Twitter Spaces, declarou sobre a aquisição da plataforma de streaming pelo bilionário Elon Musk: “devemos questionar se o homem mais rico do mundo e sua propriedade do Twitter é algo que o mundo realmente quer, mas isso fica para outro dia.”

PUBLICIDADE

--Este texto foi traduzido por Bianca Carlos, localization specialist da Bloomberg Línea.

Veja mais em Bloomberg.com

Leia também

PUBLICIDADE

Musk volta atrás após dizer que compra do Twitter estaria ‘temporariamente suspensa

Gráfico: Ainda tem dinheiro para as startups da América Latina?

Últimas Brasilcripto
PUBLICIDADE