PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Mercados

Wall Street continua otimista com a Coinbase após colapso cripto

Bolsa de criptomoedas registra queda de quase 77% no ano, mas analistas ainda recomendam compra da ação

O papel tem classificação de compra de 22 analistas, segundo dados compilados pela Bloomberg
Por Yueqi Yang
13 de Maio, 2022 | 09:58 am
Tempo de leitura: 2 minutos

Bloomberg — As ações da Coinbase (COIN) caíram vertiginosamente este ano, junto com a queda nos preços do Bitcoin, com o valor de mercado da empresa encolhendo de um pico de mais de US$ 75 bilhões no ano passado para US$ 12,5 bilhões. Mas Wall Street permanece otimista com o papel.

A bolsa de criptomoedas registra queda de quase 77% no ano, negociada muito abaixo do preço de fechamento do primeiro dia de negociação em abril do ano passado, de US$ 328,28.

PUBLICIDADE

Mas os analistas ainda recomendam amplamente a ação, apesar de seu balanço mais fraco do que o esperado no primeiro trimestre. O papel tem classificação de compra de 22 analistas, segundo dados compilados pela Bloomberg. Enquanto cinco dão classificação neutra, apenas quatro recomendam a venda.

Mesmo Dan Dolev da Mizuho, com um dos preços-alvo mais baixos para a Coinbase, continua confiante na capacidade da empresa de estabilizar o preço de suas ações este mês, apesar de dizer que isso será atingido a um custo “muito alto”. Ele baixou o preço-alvo da ação de US$ 135 para US$ 60.

O preço-alvo médio da Coinbase é de cerca de US$ 170, segundo dados da Bloomberg.

PUBLICIDADE
Ações expostas a cripto perderam bilhões desde novembro do ano passadodfd

Grandes investidores também continuam a colocar dinheiro na bolsa de criptomoedas.

O terceiro maior acionista da Coinbase, a Ark Investment Management de Cathie Wood, aumentou sua participação, segundo relatório na quarta-feira (10). Wood, que é conhecida por seu estilo obstinado de escolher a dedo empresas de crescimento de longo prazo com histórias visionárias, falou em um painel junto com o CEO da Coinbase Brian Armstrong na semana passada, onde eles defenderam o potencial das criptomoedas.

  • A Coinbase chegou a subir até 12% na quinta-feira, para US$ 60,30, reduzindo parte do tombo de 26% de quarta.

“A extensão desse declínio é muito exagerada e decorre, em grande parte, da falta de compreensão entre muitos investidores de varejo de quão bem capitalizada é a Coinbase”, disse Mark Palmer, analista de fintech da BTIG, que estabeleceu uma preço-alvo de US$ 380 para a ação, um dos mais altos.

Embora o ambiente atual dos mercados seja desafiador, Palmer disse que a Coinbase pode eventualmente ver “um ambiente competitivo muito diferente se houver um abalo entre bolsas menores”.

Apesar dos resultados medíocres e do declínio acentuado no valor de mercado, é improvável que a empresa seja um alvo de aquisição, disse Palmer. A administração rejeitaria uma oferta mesmo com um prêmio significativo, acrescentou.

Um investidor ativista poderia entrar a bordo e pressionar pela racionalização de custos na Coinbase, disse Michael Bucella, sócio geral da BlockTower Capital, uma empresa de investimentos em criptomoedas e blockchain.

PUBLICIDADE

“Na ecosfera cripto, ela é quase grande demais para quebrar”, disse.

Veja mais em bloomberg.com

Leia também

PUBLICIDADE

Musk volta atrás após dizer que compra do Twitter estaria ‘temporariamente suspensa’

5 pontos para entender o que está acontecendo com o Nubank

Últimas BrasilWall StreetCoinbase
PUBLICIDADE