Tech

O fim de uma era: Apple encerra produção do iPod

Dispositivo ajudou a transformar a empresa de quase falida para uma gigante de US$ 3 trilhões

Steve Jobs apresentando o iPod, o aparelho que relançou a empresa
Por Mark Gurman
11 de Maio, 2022 | 03:42 pm
Tempo de leitura: 1 minuto

Bloomberg — O iPod da Apple, um dispositivo inovador que mudou a indústria da música e eletrônicos há mais de duas décadas, não existe mais.

A empresa anunciou na terça-feira (10) que iria descontinuar o iPod Touch, o último remanescente de uma linha de produtos que começou a ser vendida em outubro de 2001. O modelo com tela sensível ao toque, lançado em 2007, permanecerá à venda até que os estoques acabem.

A Apple lançou dezenas de versões do iPod ao longo dos anos, mas o produto foi gradualmente eclipsado por seus outros dispositivos, especialmente o iPhone. Isso levou a empresa a começar a descontinuar os modelos em 2014. Na época, a Apple parou de fabricar o iPod classic, uma versão com click wheel e tela pequena mais parecida com a versão original. Em 2017, a empresa da maçã parou de fabricar seus menores players de música, o iPod Nano e o iPod Shuffle.

O iPod Touch - popular como uma alternativa mais barata ao iPhone - durou mais alguns anos. O dispositivo foi atualizado pela última vez em 2019 e custou US$ 199 (R$ 1.019,22) Compare isso com o iPhone mais barato do portfólio da Apple: o SE, que custa US$ 429 (R$ 2.197).

PUBLICIDADE

Mas com tantas outras maneiras de obter música, a Apple não vê mais o produto como necessário.

“Integramos uma experiência musical incrível em todos os nossos produtos, do iPhone ao Apple Watch e ao HomePod mini, e no Mac, iPad e Apple TV”, disse Greg Joswiak, vice-presidente sênior de marketing mundial da Apple.

Introduzido por Steve Jobs, o iPod foi creditado por ajudar a transformar a Apple de uma empresa quase falida para um eventual gigante de US$ 3 trilhões. O iPod preparou o terreno para o desenvolvimento do iPhone, iPad e AirPods - produtos que agora representam a maior parte da receita da Apple.

Leia também:

Elon Musk diz que Twitter cumprirá regras de conteúdo da Europa com aquisição

PUBLICIDADE