Negócios

SPAC vira ‘palavrão’ que mancha até histórias de sucesso

Segundo dados da Bloomberg, 30 empresas que abriram capital por meio de SPACs são negociadas a preços baixos em relação a pares

Muitos dos ex-SPACs estão baratos por um bom motivo, e a definição de barato depende de qual métrica e referência são usadas
Por Bailey Lipschultz
02 de Maio, 2022 | 06:05 pm
Tempo de leitura: 2 minutos

Bloomberg — A julgar pelos 70% de queda nas ações provindas das chamadas empresas de cheque em branco nos EUA desde seu pico no início do ano passado, muitos investidores desconfiam delas, e é por isso que Enrique Abeyta gosta de algumas.

“Tudo estava disparando, e agora SPAC virou um palavrão”, disse Abeyta, que segue as empresas de propósito específico para aquisições como editor da Empire Financial Research. “Isso está se transformando em uma oportunidade espetacular de escolha de ações.”

Não é que dá para jogar dardos em uma lista para encontrar oportunidades, mas dados compilados pela Bloomberg revela que mais de 30 empresas que abriram capital por meio de SPACs são negociadas a preços baixos em relação a algo que muitos de seu pares não tem - fluxo de caixa real e lucros. Algumas têm recomendações unânimes de compra de analistas que acompanham as ações.

Elas variam de uma empresa de pagamentos sendo negociado a cerca de 12 vezes o Ebitda, uma empresa de software empresarial a 7 vezes o lucro e uma operadora de loja de conveniência com uma relação preço-receita bem abaixo de 1.

PUBLICIDADE

Mas muitos dos ex-SPACs estão baratos por um bom motivo, e a definição de barato depende de qual métrica e referência são usadas.

Dito isto, ex-SPACs que são negociadas a um valor abaixo de 10 vezes o Ebitda, com recomendações unânimes de analistas, incluem a rede de lojas de conveniência Arko, a industrial Alta Equipment e o provedor de instalações corporativas Target Hospitality. Outros negociando em múltiplos inferiores ao índice S&P 500 incluem Priority Technology e Organogenesis.

A Priority, uma empresa de tecnologia de pagamentos, caiu mais de 50% após sua fusão de SPAC em julho de 2018 apesar do crescimento da receita em 27% para US$ 514,9 milhões no ano passado. Analistas esperam melhora no fluxo de caixa e rentabilidade mais para frente. Ela é negociado a um valor de 11,6 vezes o Ebitda e uma relação preço-receita um pouco abaixo de 1.

Seus pares geralmente são negociados a um valor de 19 vezes o Ebitda, segundo dados da Bloomberg. Os dois analistas que cobrem a Priority têm recomendações de compra.

PUBLICIDADE

A Organogenesis, que vende medicamentos regenerativos, incluindo tratamento de úlcera no pé para diabéticos, aumentou a receita líquida em 38% para US$ 468,1 milhões em 2021. Seu valor está em cerca de 10 vezes o Ebitda e os quatro analistas que a cobrem recomendam a ação, com preço-alvo em 12 meses que implica retornos potenciais de quase 200%.

Veja mais em bloomberg.com

Leia também

Marca do Itaú avaliada em US$ 8bi, a mais valiosa do país, diz estudo

Esta é a Viatina, a vaca mais cara do mundo, avaliada em R$ 8 milhões

PUBLICIDADE