PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Internacional

Maduro anuncia bônus compensatório para aposentados e recuperação salarial

“Não é que a Venezuela esteja se consertando, a Venezuela está se recuperando graças à classe trabalhadora de toda a Venezuela”, disse

Gaby Oraa/Bloomberg
02 de Maio, 2022 | 02:40 pm
Tempo de leitura: 1 minuto

Bloomberg Línea — O novo anúncio em relação ao aumento salarial que era esperado na Venezuela foi substituído pela promessa de continuar recuperando a renda mínima dos venezuelanos, à medida que a capacidade econômica do país avança desde o ano passado. No Dia do Trabalho, o presidente Nicolás Maduro discursou dizendo que “com a decisão que tomei em abril, de trazer o salário para meio petro, mal começamos a recuperar o salário (...) de toda a economia, que começa a crescer”, disse Maduro, ao final da manifestação chavista convocada na capital Caracas.

O ditador venezuelano também garantiu que no segundo semestre de 2022 a recuperação econômica será o dobro do que foi registrado até agora. No final de 2021, a vice-presidência do governo chavista, Delcy Rodríguez relatou um aumento de 7,6% do PIB.

Maduro reiterou a criação de um bônus compensatório único para os aposentados de 1º de janeiro de 2018 a 1º de maio de 2022, contemplado em 10 mil bolívares, que serão entregues em três parcelas.

É esperado que durante esta próxima semana, os detalhes a este respeito sejam oferecidos por Delcy Rodríguez. “Certamente será necessário compensar aqueles que estão um pouco mais atrasados, vamos estudar isso”, acrescentou.

PUBLICIDADE

A frase “a Venezuela está se consertando” foi uma referência constante no discurso diante da classe trabalhadora, à qual ele atribuiu a recuperação, apesar de admitir que o país ainda não se consertou completamente.

“Todos os acordos coletivos de todos os trabalhadores do país devem ser discutidos, sem exceção. Salários, tabelas salariais. Anuncio que aprovei a criação de um fundo especial de projetos para trabalhadores”, disse Maduro, como parte de uma série de medidas que espera implementar.

A superintendência da classe trabalhadora também fez parte da lista, bem como a criação do Sistema Nacional de Recreação da classe trabalhadora venezuelana e o Banco Digital dos Trabalhadores, com o objetivo de depositar os benefícios correspondentes em petro, a criptomoeda venezuelana vetada pelos Estados Unidos, e para a qual o chavismo encontrou uso no território nacional.

“As leis exigidas pela Lei Orgânica do Trabalho aprovada por Chávez ainda não foram feitas. Assembleia Nacional, senhora vice-presidente, dou-lhe um ano como prazo para pagar essa dívida”, disse Maduro, em seu discurso.

PUBLICIDADE

Leia também:

Dados de milhões de usuários do Grindr foram usados para vendas: WSJ

Raylí Luján

Raylí Luján (BR)

Jornalista venezuelano. Coordenei a edição impressa de El Nuevo País e escrevi para o jornal El Nacional. Colaborei para meios digitais como Prodavinci e ganhei o prémio Roche 2021 pelo trabalho colaborativo #HuirMigrarParir, juntamente com La Vida de Nos.