PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Negócios

Venezuela deve crescer mais que o resto da América do Sul em 2022

Nas novas projeções da CEPAL: desaceleração significativa na América Latina e no Caribe, com crescimento regional de 1,8%, em média

Na América do Sul, a nação administrada por Nicolás Maduro é seguida pela Colômbia, com 4,8%, e pelo Uruguai, com 3,9%. Brasil e Paraguai se destacam por registrarem uma projeção de crescimento de apenas 0,4% e 0,7%, respectivamente.
01 de Maio, 2022 | 01:16 pm
Tempo de leitura: 2 minutos

A projeção de crescimento da economia venezuelana em 2022 está em 5%, segundo o comunicado apresentado pela Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe (CEPAL), no qual também se refere a um aprofundamento da desaceleração na região, no meio do contexto da guerra na Ucrânia.

A Venezuela, que acaba de sair do quadro hiperinflacionário, passa por um processo de transformação que foi avaliado e delineado nos relatórios de grandes consultorias, que inesperadamente a colocaram entre os países com as melhores pontuações, em termos de aumento em seu Produto Interno Bruto, este ano.

No caso da CEPAL, a nação sul-americana ocupa o primeiro lugar entre os países da América do Sul, cujas economias crescerão 1,5% em média, enquanto em toda a região da América Latina e Caribe terá um crescimento de 1,8%.

Nos novos números, divulgados pelo secretário-executivo interino da entidade, Mario Cimoli, a Venezuela só é superada pela República Dominicana, com 5,3%, e pelo Panamá, com 6,3% na área latino-americana.

PUBLICIDADE
Venezuela se proyecta con el mejor crecimiento en América del Surdfd

Na América do Sul, a nação administrada por Nicolás Maduro é seguida pela Colômbia, com 4,8%, e pelo Uruguai, com 3,9%. Brasil e Paraguai se destacam por registrarem uma projeção de crescimento de apenas 0,4% e 0,7%, respectivamente.

A avaliação feita pela CEPAL alerta para o impacto negativo da guerra na Ucrânia, promovida pela Rússia, que provocou principalmente o aumento dos preços dos produtos básicos, sejam eles hidrocarbonetos, alguns metais, alimentos e fertilizantes.

A comissão também alerta que a dinâmica inflacionária na região se acelerou, e em março de 2022 está estimada em 7,5%, com grande possibilidade de se manter alta no restante do ano.

A economia venezuelana, que não ficará imune ao impacto, no entanto é a melhor ponderada e fruto de uma recuperação anterior que já vinha experimentando, e que foi anunciada pelo Chavismo, que a colocou em 7,6% no final de no ano passado, e inflação de 1,4% em março de 2022, a menor desde 2012.

PUBLICIDADE

Analistas e consultores nacionais, como o Observatório de Finanças da Venezuela, ligado à oposição venezuelana, alertaram que a contenção da inflação tem sido alcançada por meio de estratégias implementadas pelo Banco Central da Venezuela (BCV) para estabilizar a taxa de câmbio no país pelo risco representado pela queima de reservas líquidas internacionais.

A dolarização transacional, que representa 69% do total de transações na Venezuela, também permitiu que outros setores e indústrias apresentassem um pequeno crescimento, apesar da atual crise em um país com uma taxa de pobreza de 94,5%, segundo a Pesquisa de Condições de Vida (Encovi) de 2021 .

Leia também

Quantos salários mínimos são necessários para comprar uma casa na América Latina

Raylí Luján

Raylí Luján

Periodista venezolana. Coordiné la edición impresa de El Nuevo País, escribí en el periódico El Nacional. He colaborado para medios digitales como Prodavinci y ganadora del Premio Roche 2021, por el trabajo colaborativo #HuirMigrarParir, junto a La Vida de Nos.