PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Negócios

J&J reduz projeção de lucros e suspende orientação de vacina contra covid

CFO da empresa disse que prevê uma recuperação contínua do mercado de produtos farmacêuticos ao longo do ano

Faturamento da unidade de vacinas foi de US$ 457 milhões; estimativas eram de quase US$ 800 milhões
Por Riley Griffin
19 de Abril, 2022 | 04:33 pm
Tempo de leitura: 2 minutos

Bloomberg — A Johnson & Johnson (JNJ) reduziu sua projeção de lucro anual, pois as vendas de produtos farmacêuticos ficaram aquém das expectativas, e a empresa suspendeu sua orientação para as vendas de vacinas contra covid-19 devido à demanda incerta e ao excedente global de oferta.

O lucro ajustado para 2022 será de US$ 10,15 a US$ 10,35 por ação, disse a empresa em comunicado nesta terça-feira (19), valor abaixo da faixa anterior de US$ 10,40 a US$ 10,60. As ações da J&J caíam 0,3% antes da abertura dos mercados dos Estados Unidos, depois de ganhar 3,9% este ano.

PUBLICIDADE

O negócio de medicamentos da J&J gerou US$ 12,9 bilhões em faturamento no primeiro trimestre, abaixo da estimativa média de US$ 13,5 bilhões. Embora continue sendo o motivador mais forte do crescimento da empresa, o desempenho é um mau presságio para o que se espera que seja seu motor de lucro após a separação da área de consumo.

Entre os problemas estavam as vendas de vacinas contra covid no valor de US$ 457 milhões no primeiro trimestre; analistas de Wall Street estimaram US$ 784,7 milhões. O CFO da J&J, Joseph Wolk, disse no trimestre passado que esperava um faturamento de US$ 3 bilhões a US$ 3,5 bilhões em 2022 para a vacina contra o coronavírus, um número que refletia os contratos fechados até janeiro para fornecer menos de 1 bilhão de doses este ano, principalmente para países de baixa e média renda.

Ainda assim, a suspensão da orientação da J&J para a vacina não é motivo de preocupação, “considerando que a empresa reiterou a orientação de lucro para todo o ano de 2022″, de acordo com uma nota do analista da Bloomberg Intelligence, John Murphy, “indicando que qualquer folga na estimativa de 20 centavos da contribuição da vacina para o LPA ajustado seria compensada em outro lugar.”

PUBLICIDADE

A J&J anunciou em novembro que separaria sua unidade de consumo de seus negócios farmacêuticos e de dispositivos, seguindo uma tendência de outras grandes farmacêuticas que reduziram o volume para focar nos produtos mais lucrativos e de rápido crescimento. O faturamento da divisão de dispositivos médicos, que continuarão, juntamente com a unidade farmacêutica, aumentaram 6%, chegando a US$ 6,97 bilhões no primeiro trimestre, recuperando-se das interrupções da pandemia.

Wolk disse em uma apresentação que ele prevê uma recuperação contínua do mercado à medida que o ano avança.

Enquanto isso, o negócio de saúde do consumidor gerou US$ 3,6 bilhões em receita trimestral, caindo 1,5% em relação ao ano anterior, devido à queda nas vendas nos EUA. A J&J citou restrições de abastecimento nos EUA e na Europa que afetam os produtos de saúde e beleza da pele da unidade. Wolk disse que espera que o negócio tenha um desempenho melhor no segundo semestre.

Espera-se que a J&J apresente uma atualização sobre o nome e a sede da nova entidade de consumo no primeiro semestre do ano. A empresa também aumentou seu dividendo trimestral de US$ 1,06 para US$ 1,13 por ação.

A gigante da saúde com sede em New Brunswick, Nova Jersey, registrou lucro ajustado trimestral de US$ 2,67 por ação, superando a estimativa média dos analistas de US$ 2,59. O faturamento do trimestre foi de US$ 23,4 bilhões, abaixo da estimativa média.

--Este texto foi traduzido por Bianca Carlos, localization specialist da Bloomberg Línea.

PUBLICIDADE

Veja mais em Bloomberg.com

Leia também

Últimas BrasilVacinaj&jJohnson & Johnson
PUBLICIDADE