Mercados

Petróleo cai com investidores pesando guerra e lockdowns na China

Por enquanto, o foco do mercado está diretamente nos desenvolvimentos da produção russa e na demanda chinesa

WTI para entrega em maio caía 0,6%, para US$ 103,67 o barril às 7h04, horário de Brasília
Por Sharon Cho
14 de Abril, 2022 | 08:34 am
Tempo de leitura: 2 minutos

Bloomberg — Os preços do petróleo caíam nesta quinta-feira (14) após um rali de dois dias que elevou os preços para mais de US$ 100 o barril, enquanto os investidores digeriam uma série de fatores, incluindo as consequências contínuas da invasão da Ucrânia pela Rússia e a última rodada de lockdowns vírus da China por conta da covid-19.

Os futuros do West Texas Intermediate (WTI) caíam 0,6%, mas ainda estão a caminho de um ganho semanal depois de avançar quase 11% nas duas sessões anteriores. A Agência Internacional de Energia disse em um relatório nesta semana que os membros da Opep+ forneceram apenas 10% de seus aumentos de oferta prometidos no mês passado. A AIE também cortou suas previsões de demanda devido às restrições da covid-19 na China.

Os estoques de petróleo dos EUA aumentaram na semana passada, principalmente devido à mudança de reservas estratégicas de petróleo para estoques comerciais. Ao mesmo tempo, a maioria dos estoques de produtos refinados caiu, provocando um aumento nos chamados spreads de crack - o lucro bruto de transformar petróleo em combustível.

O mercado de petróleo passou por um período tumultuado de negociações desde que a Rússia invadiu a Ucrânia no final de fevereiro. A liberação de reservas pelos EUA e seus aliados, juntamente com o ressurgimento da covid-19 na China, pesou sobre os preços nas últimas semanas. Há alguns sinais de flexibilização das restrições ao vírus e espera-se que o banco central da China tome medidas para ajudar a fortalecer uma economia vacilante.

PUBLICIDADE

“A intervenção energética do governo, a percepção de auto-rejeição do petróleo russo e os padrões de compra erráticos nas últimas semanas alteraram o caminho de curto prazo”, disseram analistas da RBC Capital Markets, incluindo Mike Tran. As negociações parecem “voláteis e desleixadas no curto prazo, à medida que o mercado digere a chegada de 240 milhões de barris de petróleo liberados de reservas estratégicas”.

Preços do petróleo

  • O WTI para entrega em maio caía 0,6%, para US$ 103,67 o barril às 7h04, horário de Brasília
  • Brent para liquidação de junho recuava 0,6%, para US$ 108,17

O mercado de petróleo ainda está nas garras de uma crise de liquidez desencadeada pelo aumento da volatilidade após um aumento de US$ 140. O interesse em aberto nos futuros do WTI caiu para o menor nível desde 2016 na quarta-feira, enquanto os traders usam estratégias de opções como forma de levantar dinheiro efetivamente diante de fontes limitadas de capital.

Enquanto isso, o Cazaquistão espera que sua principal rota de exportação de petróleo via Rússia restaure as operações completas no final de abril, disse o ministro da Energia do país. O país disse que continua preocupado com o possível impacto das sanções ocidentais ou problemas de transporte no fluxo de petróleo.

Leia também

PUBLICIDADE

Vélez, do Nubank: ‘Indústrias serão dominadas por empresas de tecnologia’

Por que a Porto Seguro acha que você vai abrir mais uma conta digital

PUBLICIDADE