Brasil

Eduardo Guardia, ex-Fazenda e sócio do BTG, morre aos 56 anos

Guardia foi ministro da Fazenda por nove meses no governo do ex-presidente Michel Temer em 2018

Também foi um dos principais apoiadores do projeto de reforma da Previdência
Por Vinícius Andrade
11 de Abril, 2022 | 02:33 pm
Tempo de leitura: 1 minuto

Bloomberg — Eduardo Guardia, sócio do Banco BTG Pactual (BPAC11) e defensor da austeridade fiscal durante uma longa carreira no serviço público, incluindo uma breve passagem como ministro da Fazenda, morreu aos 56 anos.

Sua morte foi confirmada pelo BTG, que não deu mais detalhes.

Guardia foi ministro da Fazenda por nove meses no governo do ex-presidente Michel Temer em 2018, depois que seu antigo chefe, Henrique Meirelles, deixou o cargo para concorrer à presidência.

Depois de pouco mais de um mês no cargo, Guardia teve de enfrentar uma dramática greve de caminhoneiros de 10 dias, que fechou fábricas, fez o preço dos combustíveis disparar e afetou a economia do país.

PUBLICIDADE

Ele também foi um dos principais apoiadores do projeto de reforma da Previdência. A proposta foi vista pelos investidores como um passo relevante para colocar as contas públicas do país em um caminho sustentável -- e acabou levando anos para ser aprovada no Congresso. Iniciado por Meirelles em 2016, o projeto só foi aprovado durante a gestão de Paulo Guedes como ministro da Economia, em 2019.

Depois de deixar o governo, Guardia ingressou no Banco BTG Pactual como sócio, em 2019. No BTG, ele foi responsável pela unidade de gestão de ativos, onde conduziu um salto nos recursos sob administração do banco. O aumento coincidiu com um período de crescimento da indústria de fundos no Brasil, já que a Selic no piso histórico ampliou a busca por produtos mais arriscados, como fundos multimercados.

Guardia também ajudou a implementar uma estratégia para o BTG comprar participações minoritárias em outras gestoras, incluindo uma criada pelo ex-CEO da Itau Asset Management, Rubens Henriques, e a Kawa Capital Management, com sede em Miami. Ele também ajudou a expandir a área de gestão do BTG para ativos alternativos, incluindo fundos que investem em ativos florestais.

Guardia nasceu em 19 de janeiro de 1966, em São Paulo. Ele trabalhou como secretário do Tesouro em 2002 e foi secretário da Fazenda de São Paulo entre 2003 e 2006. Por quase seis anos, trabalhou como diretor financeiro e chefe de produtos da B3, o que o colocou em contato direto com executivos de grandes bancos.

PUBLICIDADE

Veja mais em bloomberg.com

Leia também

Dólar deve ganhar terreno em relação às maiores moedas, diz pesquisa

PUBLICIDADE