Petrobras: Governo indica ex-secretário de petróleo e gás para CEO

Nomes de José Maurício Coelho e Márcio Weber agora devem ser aprovado pela assembleia geral da companhia, que acontece no dia 13 de abril

Governo federal indica nomes para presidente da Petrobras e presidente do conselho de administração da companhia
06 de Abril, 2022 | 07:50 PM

Bloomberg Línea — O Ministério de Minas e Energia confirmou nesta quarta-feira (6) a indicação dos nomes de José Mauro Ferreira Coelho para a presidência da Petrobras e de Marcio Andrade Weber para presidir o conselho de administração da companhia.

Coelho já foi secretário de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis do MME e deixou a pasta em outubro do ano passado, depois de um ano no cargo. Ele preside o conselho da PPSA desde maio de 2020 e deve deixar o cargo.

Weber já é conselheiro da Petrobras e foi diretor da Petroserv até outubro de 2020. Ele é engenheiro civil formado pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul e já trabalhou na Petrobras.

Eles foram indicados depois que o economista Adriano Pires e o presidente do Flamengo, Rodolfo Landim, declinaram dos convites para ser CEO e presidente do conselho da Petrobras, respectivamente.

PUBLICIDADE

Ambos alegaram conflito de interesses por terem como sócio um empresário que também é sócio de fornecedoras da Petrobras.

Pires foi indicado pelo governo para substituir o general Joaquim Silva e Luna, que ficou à frente da Petrobras por menos de um ano. Ele vem reclamando de ter sido traído pelo governo - na semana passada, seu nome não constava da lista de indicados pelo governo para compor o conselho de administração da Petrobras.

A negativa do convite por Pires e Landim, além das informações sobre seus conflitos de interesse, expôs mais um capítulo da crise entre a Petrobras e o governo. O presidente Jair Bolsonaro (PL) vem reclamando nos últimos meses da alta no preço dos combustíveis e culpa a companhia pela inflação no setor.

PUBLICIDADE

Disse várias vezes que não pretende intervir na estatal, mas a substituição do general Silva e Luna sinalizou o contrário para o mercado. E as ações da companhia desabaram.

No início desta semana, chegou-se a aventar a indicação do secretário de Desburocratização do Ministério da Economia, Caio Paes de Andrade. Ele é próximo do ministro Paulo Guedes, mas a possibilidade de ele ser indicado foi mal vista pelo setor por causa de sua falta de experiência com empresas de óleo e gás.

Agora, as indicações de José Maurício Coelho e Márcio Weber precisam ser aprovadas pela assembleia geral da estatal, que acontece no dia 13 de abril.

(Atualizado às 20h03 de 6 de abril para acréscimo de informações sobre o contexto das indicações)

Leia também

Pedro Canário

Repórter de Política da Bloomberg Línea no Brasil. Jornalista formado pela Faculdade Cásper Líbero em 2009, tem ampla experiência com temas ligados a Direito e Justiça. Foi repórter, editor, correspondente em Brasília e chefe de redação do site Consultor Jurídico (ConJur) e repórter de Supremo Tribunal Federal do site O Antagonista.