Amazon vai lançar foguetes em projeto de serviço de internet de alta velocidade

O acordo faz parte de maior aquisição de veículos lançadores da história; valor do contrato não foi divulgado pela empresa

A Amazon se recusou a especificar o número exato de satélites a serem lançados com o trio dos fornecedores de foguetes
Por Justin Bachman
05 de Abril, 2022 | 06:35 PM

Bloomberg — A Amazon (AMZN) anunciou a compra de 83 lançamentos de foguetes de três fornecedores diferentes para implantar a maior parte de sua constelação de satélites para serviços de internet de alta velocidade, chamado de Projeto Kuiper.

Os acordos com a Arianespace SA, Blue Origin LLC e United Launch Alliance representam a maior aquisição comercial de veículos lançadores da história, disse a Amazon em comunicado nesta terça-feira (5). O projeto visa fornecer internet de alta velocidade a partir do espaço, competindo com ofertas semelhantes do serviço Starlink, da Space Exploration Technologies Corp. (SpaceX), de Elon Musk, e da OneWeb, com sede no Reino Unido.

A licença FCC (Federal Communications Commission) da Amazon exige que o projeto lance pelo menos metade de sua rede planejada de 3.236 satélites até julho de 2026 e pelo menos 90% de sua rede até julho de 2029.

A empresa se recusou a especificar o número exato de satélites a serem lançados com o trio dos fornecedores de foguetes e também qual foi o valor total do contrato. Nenhum dos três foguetes que a Amazon selecionou em seus últimos negócios foi lançado até o momento.

PUBLICIDADE

A Blue Origin, empresa espacial criada pelo fundador da Amazon, Jeff Bezos, cuidará de 12 implantações para o Projeto Kuiper, com opção de 15 lançamentos adicionais, usando seu foguete New Glenn - que já sofreu vários atrasos, incluindo um recente que o impedirá de voar ainda este ano, conforme o planejado anteriormente, de acordo com Jarrett Jones, vice-presidente sênior da Blue Origin.

A maior fatia

A United Launch Alliance (ULA) conquistou a maior parte do contrato da Amazon, com 38 lançamentos, usando seu novo foguete chamado de Vulcan Centaur. A ULA, com sede em Centennial, Colorado, é uma joint venture da Boeing (BA) e da Lockheed Martin Corp., e planeja um primeiro voo para o Vulcan este ano, disse uma porta-voz da empresa.

PUBLICIDADE

No ano passado, a Amazon contratou nove lançamentos da ULA usando seu antigo foguete Atlas V, como parte de um acordo separado para os satélites do projeto.

Sob os últimos acordos da gigante do varejo, a Arianespace fornecerá 18 lançamentos com seu foguete Ariane 6, que ainda está em desenvolvimento. O consórcio espacial europeu com sede em Paris planeja o primeiro voo de teste do Ariane 6 ainda este ano com serviço comercial a partir de 2023.

Arianespace e ULA estão entre os fornecedores de lançamentos mais estabelecidos do setor. A Blue Origin é uma empresa relativamente nova que trabalha para entrar no negócio de carga útil de foguetes comerciais.

A Blue Origin não disse quando seu foguete New Glenn começará seus voos de teste ou de serviço comercial. “Estamos fazendo um grande progresso com o New Glenn e voaremos quando estivermos prontos”, disse a porta-voz Sara Blask por e-mail.

O New Glenn operará com sete motores BE-4 de oxigênio líquido e gás natural líquido, o mesmo modelo que a ULA selecionou para alimentar o primeiro estágio de seu veículo Vulcan. A Blue Origin entregou alguns motores BE-4 à ULA para testes e eles estão “funcionando lindamente” em bancadas de teste, disse o CEO da ULA, Tory Bruno, em 22 de março em uma conferência via satélite.

O Projeto Kuiper anunciou planos no final do ano passado para lançar dois protótipos de satélites em 2022 da Flórida com o novo foguete RS1 da ABL Space Systems .

– Esta notícia foi traduzida por Melina Flynn, Content Producer da Bloomberg Línea.

PUBLICIDADE

Veja mais em Bloomberg.com

Leia também

Elon Musk se juntará ao conselho de administração do Twitter

Chilli Beans bate Ray-Ban no Brasil e quer mais espaço no exterior