PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Internacional

Presidente do Fed de Chicago defende alta de 0,25pp de juros por reunião

Charles Evans concorda com postura ligeiramente restritiva; presidente geral da instituição Jerome Powell afirma estar pronto para abordagem mais agressiva

“Minha avaliação base está alinhada com a projeção mediana"
Por Steve Matthews
01 de Abril, 2022 | 03:25 pm
Tempo de leitura: 1 minuto

Bloomberg — O presidente do Federal Reserve de Chicago, Charles Evans, disse que sua perspectiva para a taxa de juros coincide com a estimativa mediana de seus colegas, que aponta mais seis aumentos de 0,25 ponto percentual neste ano em meio à inflação alta e um aquecido mercado de trabalho.

“Minha avaliação base está alinhada com a projeção mediana, embora diante da grande incerteza que enfrentamos hoje, estou bem ciente de que os desdobramentos podem desenrolar de uma maneira que me leve a alterar minha avaliação”, disse Evans em evento na Prairie State College Foundation em Olympia Fields, Illinois, nesta sexta-feira (1º).

PUBLICIDADE

Evans, que vem se inclinando a uma postura mais branda ao longo da sua liderança no Fed de Chicago por mais de uma década, disse que concorda com a projeção mediana feita em março pelos participantes do Fomc, o Comitê de Mercado Aberto do Fed, de que as taxas subam para 1,9% este ano e 2,8% em 2023, níveis que, segundo ele, representam uma postura política ligeiramente restritiva.

Projeção e mediana dos aumentos da taxa de juros pelo Feddfd

Autoridades do Fed elevaram a taxa de juros de zero no mês passado em 0,25 ponto percentual. Desde então, vários dirigentes, incluindo Thomas Barkin, do Fed de Richmond, na quarta-feira (30), disseram que estão abertos a subir a taxa em um ritmo mais agressivo de meio ponto em sua reunião de maio. O presidente da instituição, Jerome Powell, disse que poderia ser a favor de um movimento maior, se necessário, para controlar as pressões sobre os preços.

Em uma coletiva após seu discurso, Evans disse que não via movimentos de meio ponto como necessários ou úteis no ambiente atual. Embora a previsão de Evans para movimentos de 0,25pp possam elevar as taxas para um cenário neutro – nem estimulante nem restritivo ao crescimento - até março de 2023, fazer alguns movimentos de 0,50pp apenas anteciparia esse ajuste em alguns meses, disse ele.

PUBLICIDADE

Embora o Fed tenha julgado mal as perspectivas de inflação na década de 1970, Evans disse que o atual aumento nas pressões de preços foi causado tanto por estímulos quanto por dificuldades na cadeia de suprimentos que apareceram muito mais repentinamente.

Veja mais em Bloomberg.com

Leia também

Últimas BrasilEUAFEDInflação
PUBLICIDADE