PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Linha Executiva

Ex-BTG vai comandar fintech Revolut, de conta global e transferências

Empresa já tem 10 pessoas trabalhando em sua unidade brasileira e planeja chegar a 50

Glauber Mota, ex-Banco BTG Pactual, vai comandar Revolut no Brasil
Por Felipe Marques
29 de Março, 2022 | 10:06 am
Tempo de leitura: 1 minuto

Bloomberg — A Revolut, empresa britânica de tecnologia financeira avaliada em US$ 33 bilhões no ano passado, fez do Brasil a mais recente parada em sua expansão global.

PUBLICIDADE

A empresa com sede em Londres contratou Glauber Mota do Banco BTG Pactual (BPAC11) para comandar seu escritório em São Paulo, disse Mota em entrevista. A Revolut já tem 10 pessoas trabalhando em sua unidade brasileira e planeja chegar a 50, segundo Mota.

A Revolut vai estrear no país oferecendo aos brasileiros contas globais que prometem baratear transferências de dinheiro e pagamentos no exterior.

PUBLICIDADE

Foi assim que a empresa começou em 2015 no Reino Unido, onde passou de um negócio de transferência de dinheiro e câmbio para oferecer criptomoedas e negociação de ações, assim como pagamento de contas e ferramentas de orçamento.

“O objetivo final é nos tornarmos um banco completo no Brasil e oferecer tudo o que já oferecemos globalmente”, disse Mota. Em julho passado, a Revolut levantou US$ 800 milhões junto a investidores como Vision Fund 2 do SoftBank Group e Tiger Global Management.

Os recursos estão ajudando a impulsionar sua expansão rumo a novos mercados, incluindo os EUA e a Índia, totalizando mais de 18 milhões de clientes.

Antes de ingressar na Revolut, Mota foi diretor de operações da unidade de varejo digital do BTG, um negócio que o banco de investimentos brasileiro criou para aproveitar o crescente mercado de tecnologia financeira no país.

A maior nação da América Latina teve uma disparada nos serviços bancários digitais durante a pandemia, atraindo investidores globais como JPMorgan e Berkshire Hathaway.

PUBLICIDADE

Mesmo assim, uma economia fraca e uma inflação crescente devem pôr à prova as fintechs do país nos próximos meses.

“O Brasil ainda tem grandes oportunidades em serviços financeiros – é só olhar as tarifas caras nas compras internacionais”, disse Mota.

A Revolut lançará seu primeiro produto no país no segundo semestre de 2022, apostando que será impulsionada pelos brasileiros que viajarão para a Copa do Mundo este ano no Catar.

Algumas de suas novas contratações no Brasil incluem Felipe Lachowski, fundador do banco digital Banco Neon; Julia Lindsey, que anteriormente trabalhava na filial brasileira do ING Bank; e Priscila Rocco, da corretora de criptomoedas Mercado Bitcoin.

Veja mais em bloomberg.com

Leia também