Eleições 2022

Moro diz que só corrupto escapa de ‘ataques e ofensas’ de Gilmar Mendes

Ex-juiz da Lava Jato disse no Twitter que a única forma de ser elogiado pelo ministro do STF é cometer crimes de corrupção

Moro diz que só será elogiado por Gilmar Mendes se cometer crime de corrupção
22 de Março, 2022 | 06:18 pm
Tempo de leitura: 1 minuto

Bloomberg Línea — O ex-juiz da Lava Jato e ex-ministro Sergio Moro respondeu às críticas que recebeu do ministro Gilmar Mendes. Disse Moro, no Twitter: “Talvez a única forma de escapar dos descabidos ataques e das ofensas do ministro seja praticar um crime de corrupção”.

Em entrevista à Bloomberg Línea, Gilmar Mendes disse que entre os legados do presidente Jair Bolsonaro (PL) “está ter nomeado Sergio Moro ministro da Justiça e depois tê-lo devolvido para o nada”.

“A viagem do Moro, sai de Curitiba, se torna ministro da Justiça, depois é demitido do governo Bolsonaro e volta para essa confusão, para essa barafunda em que ele se meteu - vai prestar serviço para uma empresa americana que é beneficiária de suas próprias decisões -, depois decide ser candidato, já é uma pena em si mesma”, disse o ministro.

Moro é candidato a presidente pelo Podemos e é considerado o principal nome da “terceira via” - candidatos que seriam opção de quem não votar nem em Bolsonaro e nem no ex-presidente Lula (PT).

PUBLICIDADE

Hoje, o ex-juiz da Lava Jato está empatado com Ciro Gomes (PDT) no terceiro lugar nas pesquisas, atrás de Lula e Bolsonaro, nessa ordem.

Segundo pesquisa BTG/FSB divulgada na segunda-feira (21), Moro tem 8% das intenções de voto, enquanto Ciro tem 9% e Doria, 2%. Lula lidera com 43% e Bolsonaro está em segundo, com 29%. A margem de erro é de 2 pontos percentuais para mais e para menos.

Leia também

Pedro Canário

Pedro Canário

Repórter de Política da Bloomberg Línea no Brasil. Jornalista formado pela Faculdade Cásper Líbero em 2009, tem ampla experiência com temas ligados a Direito e Justiça. Foi repórter, editor, correspondente em Brasília e chefe de redação do site Consultor Jurídico (ConJur) e repórter de Supremo Tribunal Federal do site O Antagonista.

PUBLICIDADE