PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Internacional

EUA vão receber até 100 mil ucranianos que fogem da invasão russa

Os EUA estão comprometidos em proteger as pessoas LGBTQ e aquelas com necessidades médicas que foram prejudicadas pela guerra

Refugiados ucranianos na fronteira de Medyka na Polônia
Por Jordan Fabian e Josh Wingrove
24 de Março, 2022 | 05:27 pm
Tempo de leitura: 1 minuto

Bloomberg — Os Estados Unidos darão as boas-vindas a até 100 mil pessoas que fogem da violência russa na Ucrânia, usando uma diversidade de vias legais para permitir que entrem no país, informou um alto funcionário do governo Biden na quinta-feira (24).

PUBLICIDADE

Alguns dos autorizados a entrar no país virão como refugiados, mas os Estados Unidos também permitirão que outros entrem em condição especial, sob autorização das autoridades alfandegárias, ou como imigrantes com vistos de não-imigrante, segundo a autoridade, sem definir um cronograma para as chegadas. O funcionário sugeriu que as pessoas que fogem do conflito poderão se radicar nos EUA ao longo de vários anos.

A medida ocorre quando mais de 10 milhões de pessoas na Ucrânia foram forçadas a deixar suas casas e mais de 3,4 milhões fugiram do país, incluindo 2 milhões que chegaram à Polônia.

PUBLICIDADE

O presidente dos EUA, Joe Biden, está na Europa para uma série de reuniões de cúpula, inclusive com a OTAN e aliados do Grupo dos Sete, que têm o propósito de administrar a crise na Ucrânia e aprofundar as sanções à Rússia.

O funcionário disse que os EUA estão comprometidos em proteger as pessoas LGBTQ e aquelas com necessidades médicas que foram prejudicadas pela guerra, mas acrescentou que o governo espera que a maioria dos que fugiram queira ficar na Europa, perto da Ucrânia e grandes populações ucranianas com o esperança de finalmente voltar para casa.

– Esta notícia foi traduzida por Marcelle Castro, localization specialist da Bloomberg Línea.

Veja mais em bloomberg.com

Leia também