PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Mercados

Bolsas de NY voltam a subir apesar de escalada de rendimentos de Treasuries

Os títulos do Tesouro retomaram sua queda, com o rendimento de referência de 10 anos subindo 10 pontos base para 2,39%

Bolsas de NY voltam a subir apesar de escalada de rendimentos de Treasuries
Por Isabelle Lee and Peyton Forte
24 de Março, 2022 | 01:02 pm
Tempo de leitura: 3 minutos

Bloomberg — As ações dos EUA subiram para as máximas do dia, com os investidores avaliando a resiliência da recuperação econômica contra as ameaças de aumento das taxas, inflação e o impacto da guerra na Ucrânia.

PUBLICIDADE

O S&P 500 (SPX) avançou, com todos exceto um dos 11 principais grupos setoriais, subindo. Os títulos do Tesouro retomaram sua queda, com o rendimento de referência de 10 anos (GT10) subindo 10 pontos base para 2,39%. A inversão de partes da curva de juros aponta para um risco crescente de desaceleração do crescimento em meio ao aumento nas commodities.

Embora os títulos tenham sofrido perdas sem precedentes em todo o mundo, as ações subiram para níveis vistos antes do início da guerra na Ucrânia. Os dados divulgados na quinta-feira mostraram que os pedidos de seguro-desemprego dos EUA caíram na semana passada para o menor nível desde 1969, já que a demanda por mão de obra excede em muito a oferta e a inflação elevada mantém o incentivo ao trabalho alto.

PUBLICIDADE

Os investidores estão saindo dos títulos enquanto autoridades do Federal Reserve alertam que aumentos mais acentuados das taxas podem ser necessários para conter a inflação mais alta em quatro décadas. O presidente do Fed, Jerome Powell, colocou explicitamente um aumento de meio ponto na mesa em maio, se necessário, dizendo que a economia é forte o suficiente para suportar custos de empréstimos mais altos.

“Sempre soubemos que as taxas subiriam, e a principal questão ou preocupação é o que acontece com o crescimento”, disse Chris Gaffney, presidente de mercados mundiais do TIAA Bank, por telefone. “Powell continuou dizendo que acredita que a economia dos EUA é forte o suficiente para suportar taxas mais altas e agora teremos a chance de ver. A guerra na Ucrânia certamente elevou os preços das commodities – o quanto isso afetará os gastos do consumidor” continua sendo uma grande questão. “Até agora, não parece que isso os desacelerou muito.”

De acordo com a Pimco, o ciclo de aperto pode terminar com o Fed elevando sua taxa básica para 2,75% até o final de 2023 - apesar dos sinais de angústia do mercado de títulos. O presidente do Fed de Chicago, Charles Evans, disse na quinta-feira que está “confortável” com o aumento das taxas em incrementos de um quarto de ponto, enquanto está “aberto” a um movimento de 50 pontos-base, se necessário. O banco central dos EUA elevou a taxa de referência em um quarto de ponto para 0,5% na semana passada, o primeiro aumento desde 2018.

O petróleo caiu, com os futuros em Nova York sendo negociados perto de US$ 113 o barril em uma sessão agitada, com os traders avaliando o impacto do aumento dos custos de negociação nas principais bolsas. Os preços das commodities tiveram altas erráticas em meio a pressões de oferta e sanções, já que os ataques da Rússia à Ucrânia não mostram sinais de diminuição.

Os EUA anunciaram um novo pacote de sanções às elites russas, legisladores e empresas de defesa destinadas a aumentar a pressão sobre Moscou pela invasão à Ucrânia.

PUBLICIDADE

“Já passou um mês desde o início da invasão russa da Ucrânia e, sem dúvida, continua sendo a história em andamento mais significativa nos mercados”, escreveram estrategistas do Deutsche Bank (DB) liderados por Henry Allen. e Jim Reid.

As ações russas subiram mais de 4% depois que a Moscow Exchange retomou as negociações de 33 das 50 ações listadas no benchmark. A intervenção do governo russo no mercado de ações ajudou a elevar as ações no primeiro dia de negociação desde 28 de fevereiro.

Aqui estão alguns eventos importantes desta semana:

  • O presidente dos EUA, Joe Biden, participa da cúpula de emergência da Otan em Bruxelas, na quinta-feira;
  • PMIs Markit da Zona Euro, quinta-feira;
  • Pedidos iniciais de seguro-desemprego nos EUA, bens duráveis nos EUA, quinta-feira;

Alguns dos principais movimentos nos mercados:

Ações

  • O índice S&P 500 (SPX) tinha alta de 1% às 12h de Nova York (13h de Brasília);
  • O Nasdaq 100 (NDX) subia 1,3%;
  • O índice Dow Jones Industrial Average (INDU) subia 0,8%;
  • O MSCI World tinha alta de 0,4%;

Moedas

  • O Bloomberg Dollar Spot Index (DXY) operava estável;
  • O iene japonês (JPY) caia 0,6% para 121,89;
  • O euro (EUR) recuava 0,6% em US$ 1,1009;

Renda fixa

  • O rendimento dos títulos do Tesouro de 10 anos subia seis pontos básicos para 2,35%;
  • O rendimento de 10 anos da Alemanha subia seis pontos básicos para 0,53%;
  • O rendimento de 10 anos do Reino Unido subia três pontos básicos para 1,66%;

Commodities

  • O petróleo bruto West Texas Intermediate (WTI) caia 1,1% para US$ 113,61 o barril;
  • O ouro subia 1,4% para US$ 1.970,10 a onça.

Veja mais em Bloomberg.com

Leia também