PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Internacional

AO VIVO: Autoridades de Mariupol acusam a Rússia de deportações forçadas

Presidente dos EUA, Joe Biden, alertou seu colega chinês sobre “implicações e consequências” se Pequim fornecer apoio material à Rússia

Ucranianos deslocados e seus filhos embarcam em um trem para seguir viagem na estação ferroviária de Przemysl, Polônia
Por Bloomberg News
19 de Março, 2022 | 10:45 am
Tempo de leitura: 8 minutos

Bloomberg — A Rússia disse que usou mísseis hipersônicos avançados “Kinzhal” pela primeira vez para atingir um alvo no oeste da Ucrânia. A Ucrânia não confirmou o incidente. O presidente Volodymyr Zelenskiy disse que as negociações de paz são a “única chance” da Rússia, dado o número crescente de países que impõem sanções, e pediu que Moscou se envolva.

O presidente dos EUA, Joe Biden, alertou seu colega chinês sobre “implicações e consequências” se Pequim fornecer apoio material à Rússia. Xi Jinping disse a Biden que a China lamenta a guerra, mas criticou as sanções americanas, segundo relatos oficiais de uma conversa de duas horas entre os líderes na sexta-feira.

PUBLICIDADE

Alguns investidores disseram que receberam pagamentos de juros sobre a dívida russa, aliviando os temores de um calote desencadeado por sanções financeiras. Os provedores de serviços de campos petrolíferos Schlumberger, Halliburton e Baker Hughes estão restringindo suas operações na Rússia.

Veja mais atualizações no horário de Brasília:

Autoridades de Mariupol acusam a Rússia de deportações forçadas (16h37)

Mariupol foi palco de intensos combates no sábado, com o prefeito da cidade, Vadym Boychenko, acusando as forças russas de crimes de guerra e deportação forçada de alguns moradores da cidade para a Rússia.

PUBLICIDADE

“O que os ocupantes estão fazendo hoje é familiar para a geração mais velha, que viu os terríveis eventos da Segunda Guerra Mundial, quando os nazistas capturaram pessoas à força”, disse Boychenko no Telegram.

O conselho da cidade sitiada também disse em comunicado que vários milhares de moradores de Mariupol foram deportados para a Rússia. “Algumas pessoas foram enviadas para cidades distantes da Rússia, o destino de outras é desconhecido”, disse o conselho.

Rússia bloqueia caminhões humanitários (16h14)

Tropas russas bloquearam 14 caminhões com ajuda humanitária com destino o sul da Ucrânia, disse a vice-primeira-ministra Iryna Vereshchuk no sábado.

No total, oito dos 10 corredores humanitários funcionaram no sábado e evacuaram 6.623 pessoas de Mariupol sitiada, bem como de Luhansk e áreas ao redor de Kiev.

Baker Hughes interrompe trabalhos futuros na Rússia (14h05)

A Baker Hughes se tornou no sábado a mais recente prestadora de serviços de campos petrolíferos a interromper trabalhos futuros na Rússia, dizendo que está suspendendo novos investimentos nas operações no país, mas continuando com o trabalho existente lá, de acordo com um comunicado.

“A crise na Ucrânia é de grande preocupação e apoiamos fortemente uma solução diplomática. Condenamos a violência e nossos corações estão com as pessoas e famílias dos afetados”, disse o CEO da Baker Hughes, Lorenzo Simonelli, em comunicado.

PUBLICIDADE

Refugiados ucranianos na Alemanha chegam a 200 mil (13h)

O número de refugiados ucranianos que chegaram à Alemanha é de pelo menos 207.742, disse o Ministério do Interior em um tuíte.

As autoridades indicaram que o número pode ser significativamente maior, já que não há verificações sistemáticas nas fronteiras da Alemanha com vizinhos do leste, como a República Tcheca e a Polônia. Mais de 2 milhões de ucranianos cruzaram a fronteira para a Polônia desde 24 de fevereiro. O total de refugiados deve chegar a 4 milhões.

Alguns dos que fogem para a Alemanha, principalmente mulheres, crianças e idosos, podem estar em trânsito para outros países. A Alemanha está tentando distribuir as chegadas por todo o país para evitar sobrecarregar grandes cidades como Berlim, Hamburgo e Munique.

PUBLICIDADE

Zelenskiy pede à Suíça que congele as contas de todos os oligarcas (12h25)

O presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelenskiy, pediu ao governo suíço que congele as contas de todos os oligarcas russos enquanto se dirigia a políticos e pessoas na capital suíça de Berna por transmissão ao vivo.

“Quero que vocês se tornem ucranianos, que sintam como é quando cidades inteiras são destruídas, cidades pacíficas”, disse Zelenskiy. “Para que não haja dúvidas sobre os bancos. Sobre seus bancos, onde está guardado o dinheiro de todos aqueles que começaram esta guerra. É necessário congelar completamente todos os bens dessas pessoas e suas contas. É uma grande luta, e vocês podem fazer isso.”

Zelenskiy também criticou a gigante multinacional de alimentos Nestlé por continuar fazendo negócios na Rússia, ecoando comentários do primeiro-ministro Denys Shmyhal no início da semana. A Nestlé suspendeu as remessas de itens não essenciais para a Rússia, mas ainda está fornecendo produtos de primeira necessidade, incluindo comida para bebês. Mais de 90% dos produtos que a Nestlé vende na Rússia são produzidos localmente.

Alemanha foi ‘estúpida’ em se tornar tão dependente da Rússia para o gás (14h)

A Alemanha foi “estúpida” ao se deixar tornar dependente da Rússia para cerca de metade de seu suprimento de gás, segundo o ministro da Economia, Robert Habeck.

PUBLICIDADE

Habeck, que está no Catar e nos Emirados Árabes Unidos neste fim de semana para discutir a compra de gás natural liquefeito, disse à rádio Deutschlandfunk que, no futuro, fornecedores individuais devem se limitar a fornecer “10% ou 20%” das necessidades da Alemanha.

Em uma entrevista separada com o Frankfurter Allgemeine Sonntagszeitung, ele defendeu a prática de obter energia de “países não democráticos”, dizendo que há uma diferença entre um país onde a situação dos direitos humanos é “problemática” e um como a Rússia que “está travando um agressivo,

Bulgária descarta ajuda militar (9h38)

O primeiro-ministro búlgaro Kiril Petkov disse que seu país continuará fornecendo apoio humanitário à Ucrânia, mas não fornecerá ajuda militar por enquanto.

“Estando tão perto do conflito, neste momento a ajuda militar à Ucrânia não será possível”, disse Petkov após se reunir com o secretário de Defesa dos EUA, Lloyd Austin.

PUBLICIDADE

Separadamente, o vice-primeiro-ministro Assen Vassilev disse que a Bulgária não renovará um contrato de fornecimento de gás natural com a Gazprom da Rússia quando um acordo de 10 anos expirar no final do ano. A Bulgária conversou com a Grécia e a Turquia e planeja aumentar as entregas do Azerbaijão, disse Vassilev.

Rússia rejeita plano de missão de manutenção da paz para a Ucrânia (9h13)

O ministro das Relações Exteriores da Rússia, Sergei Lavrov, rejeitou uma proposta polonesa para uma missão de paz na Ucrânia.

O plano, que a Polônia proporá formalmente na cúpula da Otan da próxima semana, provavelmente significaria tropas polonesas controlando o oeste da Ucrânia, disse Lavrov no sábado pelo serviço de notícias Interfax.

Comentando as demandas russas nas negociações em andamento com a Ucrânia, Lavrov disse que, entre outras coisas, o Kremlin quer que o país aprove uma lei que proteja o uso da língua russa nas escolas e na mídia.

PUBLICIDADE

Lavrov diz que não há razão para o acordo da Opep+ acabar (9h42)

Lavrov expressou confiança no futuro do acordo da Opep+, dizendo que todos os seus participantes estão comprometidos com ele.

“Não vejo nenhuma razão para que esse mecanismo seja destruído. Ninguém está interessado nisso”, disse Lavrov no sábado, conforme citado pelo serviço de notícias Interfax.

Lavrov acusou os EUA de tentar inundar o mercado com mais petróleo para prejudicar a Rússia. A Arábia Saudita afirmou seu compromisso com um acordo da Opep+ com a Rússia no início de março, dias após a invasão da Ucrânia.

Putin fala com o líder de Luxemburgo (8h40)

O primeiro-ministro de Luxemburgo, Xavier Bettel, conversou com o russo Vladimir Putin no sábado, observando que desde a última troca do par em 14 de março, “a situação no terreno piorou”.

PUBLICIDADE

Em uma leitura, o Kremlin disse que Putin levantou as alegações da Rússia de atividade “inaceitável” de armas biológicas dos EUA na Ucrânia.

Acabei de falar com Vladimir Putin novamente. Desde nossa última troca, a situação no terreno piorou, especialmente na cidade de Mariupol. As imagens que nos chegam são intoleráveis. A meta precisa continuar sendo a desescalada, a adoção do cessar-fogo e o avanço dos processos de negociação.

— Xavier Bettel (@Xavier_Bettel) 19 de março de 2022

Dez corredores humanitários abertos no sábado (7h49)

Dez corredores humanitários estão abertos para evacuação no sábado, inclusive da cidade portuária de Mariupol, no sul, disse a vice-primeira-ministra da Ucrânia, Iryna Vereshchuk. As rotas de evacuação também estão abertas na região de Kiev e na região de Luhansk, no extremo leste.

PUBLICIDADE

Vereshchuk anunciou planos para a entrega de ajuda humanitária a Kherson, que está sob o controle das forças russas.

As autoridades fronteiriças polonesas informaram que 42.700 pessoas atravessaram a fronteira da Ucrânia na sexta-feira e mais 7.400 na manhã de sábado. Somente a Polônia recebeu cerca de 2,04 milhões de pessoas da Ucrânia.

Rússia diz que usou míssil ‘Kinzhal’ pela primeira vez (4h22)

A Rússia disse que usou um míssil hipersônico avançado “Kinzhal” pela primeira vez na sexta-feira para atingir um grande armazém subterrâneo no sudoeste da Ucrânia. Não houve confirmação imediata da Ucrânia, e não houve relatos de uma greve nas redes sociais.

O porta-voz do Ministério da Defesa, Igor Konashenkov, disse em um briefing diário que o ataque à vila de Delyatyn, na região de Ivano-Frankivsk, na Ucrânia, também tirou munição de aviação.

A Rússia já usou mísseis de longo alcance para atacar alvos no extremo oeste da Ucrânia, não muito longe da fronteira com a Polônia. O sistema Kinzhal de mísseis ar-terra é uma de uma série de armas estratégicas avançadas reveladas pelo presidente russo Vladimir Putin em 2018.

O ataque reivindicado ocorre quando a inteligência de defesa do Reino Unido alerta que, tendo falhado em atingir seus objetivos originais, o Kremlin provavelmente passará para o “uso indiscriminado de poder de fogo”.

LG interrompe envios para a Rússia (1h12)

A LG Electronics está suspendendo todas as remessas para a Rússia, juntando-se à Samsung Electronics na interrupção das vendas para o país por causa da invasão da Ucrânia. A LG está “profundamente preocupada com a saúde e a segurança de todas as pessoas” e está comprometida com o apoio humanitário, disse a empresa no sábado por e-mail.

A Samsung suspendeu as remessas para a Rússia no início deste mês e o governo da Coreia do Sul também se juntou a uma lista de países que anunciam sanções contra o país.

Schlumberger suspenderá investimentos na Rússia (0h23)

A Schlumberger disse que suspenderá novos investimentos e implantação de tecnologia em suas operações russas. A empreiteira do campo petrolífero “continuará a monitorar ativamente essa situação dinâmica e cumprirá qualquer atividade existente em total conformidade com as leis e sanções internacionais aplicáveis”, disse o CEO Olivier Le Peuch em comunicado.

A empresa disse anteriormente que sofreria um impacto nos lucros dos efeitos combinados do ataque da Rússia à Ucrânia e de uma cadeia de suprimentos global cada vez mais emaranhada que está desacelerando os embarques de produtos. A Rússia responde por cerca de 5% de sua receita, de acordo com um documento.

Leia também

Binance ‘não é pior que banco’ no combate à lavagem de dinheiro, diz fundador

Fundador do Telegram pede desculpas ao STF e solicita adiamento de suspensão do app

PUBLICIDADE