Estilo de vida

Espanha apreende iate de russo em Barcelona

Embarcação de US$ 154 milhões pertence a associado de Putin cujo relacionamento data de seu serviço como agente da KGB na Alemanha

Embarcação está avaliada em US$ 154 milhões
Por Thomas Gualtieri
16 de Março, 2022 | 09:38 am
Tempo de leitura: 1 minuto

Bloomberg — O governo espanhol assumiu um iate ligado ao alto executivo de um grande conglomerado de defesa da Rússia, enquanto autoridades de toda a Europa intensificam sua campanha contra magnatas sancionados ligados ao presidente Vladimir Putin.

O país apreendeu o Valerie, embarcação de 85 metros de comprimento avaliada em cerca de 140 milhões de euros (US$ 154 milhões), disse o primeiro-ministro Pedro Sanchez em entrevista à emissora de TV La Sexta, sem revelar a identidade de seu proprietário. O jornal espanhol El Pais informou que o navio está ligado ao CEO da Rostec State Corporation, Sergey Chemezov, citando um documento da marinha mercante espanhola.

Jornal espanhol El país informou que empresário russo é proprietário do barcodfd

Um porta-vez da Rostec não quis comentar à Bloomberg News. Na marinha mercante espanhola ninguém quis comentar.

A medida espanhola segue uma série de ações semelhantes de outros países europeus depois que as autoridades da União Europeia aplicaram sanções a vários bilionários e empresários russos neste mês, impedindo-os de movimentar seus ativos.

PUBLICIDADE

O Amore Vero, um iate do CEO da gigante petrolífera Rosneft, Igor Sechin, foi impedido de deixar Cote D’Azur por funcionários da alfândega francesa em 3 de março, ao passo que as autoridades italianas apreenderam o veleiro de 530 milhões de euros do bilionário Andrey Melnichenko no último fim de semana.

No anúncio desta segunda-feira (14), Sanchez disse que o barco foi “temporariamente imobilizado” e que outros bens ligados aos oligarcas também seriam apreendidos. Barcelona é um dos maiores portos da Europa e um dos favoritos dos proprietários de grandes iates que o utilizam como base para navegar pelo Mediterrâneo.

Chemezov, de 69 anos, já foi sancionado em setembro de 2014, como parte de uma onda de sanções dos Estados Unidos e da Europa após a invasão da Crimeia pela Rússia. Segundo dados da União Europeia, Chemezov é um associado de longa data de Putin, desde quando ambos atuaram como funcionários da KGB na Alemanha.

--Este texto foi traduzido por Bianca Carlos, localization specialist da Bloomberg Línea.

PUBLICIDADE

Veja mais em Bloomberg.com

Leia também

PUBLICIDADE