Mercados

Fundos saem da bolsa de metais de Londres após bilhões em transações desfeitas

Intervenção drástica da LME ocorreu oito horas após o dia mais volátil de sua história moderna, quando os preços dispararam

O CEO da LME, Matthew Chamberlain, diz que suspender o comércio de níquel foi o movimento certo
Por Mark Burton e Jack Farchy
11 de Março, 2022 | 11:50 am
Tempo de leitura: 2 minutos

Bloomberg — O gestor Lucas Sadrian negocia metais há trinta anos, desde passagens por grandes fundos de hedge como Brevan Howard e Moore Capital até gerir sua própria operação. Pela primeira vez em sua carreira, ele diz que a bolsa de metais de Londres ficou muito arriscada para negociar.

Sadrian, como muitos veteranos do mercado, ficou chocado com a decisão da London Metal Exchange de suspender as negociações de níquel na manhã de terça-feira e cancelar todas as transações do início do dia. Agora, no meio de uma alta fortíssima que elevou os preços a níveis recordes, vários no mercado estão simplesmente decidindo se afastar.

“A LME tem sido meu dia a dia por muito tempo, então é de partir o coração”, disse Sadrian, cujo fundo Commodities World Capital subiu cerca de 120% este ano. “Dada a incerteza atual, estou saindo de todas as minhas posições na LME, apesar de estar fortemente otimista em relação ao cobre.

A intervenção drástica da LME ocorreu oito horas após o dia mais volátil de sua história moderna, quando os preços dispararam deixando corretores e clientes enfrentando enormes chamadas de margem para cobrir perdas com posições vendidas. Os preços mais que dobraram durante o pregão asiático, antes que a LME suspendesse o mercado e dissesse que os negócios do dia - no valor de cerca de US$ 3,9 bilhões, segundo cálculos da Bloomberg - seriam cancelados.

PUBLICIDADE

Defendendo suas decisões na quinta-feira, a bolsa disse que os preços em alta criaram um “risco sistêmico” para o mercado, gerando chamadas de margem muito mais altas do que a bolsa jamais tinha visto e um risco significativo de vários defaults.

Veja mais: Magnata do níquel diz que mantém posição vendida no metal

O CEO da LME, Matthew Chamberlain, disse no início da semana que vários dealers teriam tido que lutar para sobreviver se a LME não tivesse dado um basta.

A turbulência desta semana foi a mais recente de uma série de controvérsias na LME, desde uma volta atrás em um plano para fechar seu pregão viva voz a um grande aperto no mercado de cobre que levou seus armazéns quase a se esvaziarem no final do ano passado. Mas a decisão de cancelar as negociações de terça-feira pode vir a ser um divisor de águas até para alguns dos mais firmes defensores do mercado.

PUBLICIDADE

Ao anular as transações, a LME efetivamente salvou os detentores de posições vendidas às custas dos que estavam comprados do outro lado das apostas.

Além disso, causou estragos para operadores que estavam ativos nas primeiras horas da manhã de terça-feira. Alguns tinham vendido posições compradas com lucro e as negociações foram canceladas; alguns tinham feito arbitragem de níquel com outros metais e a parte de níquel foi cancelada; e alguns bancos haviam usado a bolsa para proteger as posições que detinham com seus clientes, apenas para verem os hedges desfeitos.

“O mercado da LME estava aberto e os usuários de boa-fé concordaram com contratos de boa-fé, eles deveriam poder confiar neles”, disse David Lilley, cofundador do fundo de metais Red Kite que agora administra a Drakewood Capital Management. “É esse o propósito de uma bolsa regulamentada.”

Veja mais em bloomberg.com

Leia também

5 metais que ficam mais caros no mundo por conta da guerra na Ucrânia

Ouro ronda máxima de 19 meses com busca por ativos de segurança

PUBLICIDADE