Internacional

UE planeja emissão gigantesca para financiar defesa e energia

Papéis financiariam gastos com energia e defesa para lidar com as consequências da invasão da Ucrânia pela Rússia

Necessidades de financiamento são enormes, com o início da reforma da infraestrutura militar e energética após a invasão da Ucrânia pela Rússia
Por Jorge Valero e Nikos Chrysoloras
08 de Março, 2022 | 10:48 am
Tempo de leitura: 2 minutos

Bloomberg — A União Europeia divulgará um plano ainda esta semana para emissão conjunta de títulos de dívida em escala potencialmente gigantesca. Os papéis financiariam gastos com energia e defesa para lidar com as consequências da invasão da Ucrânia pela Rússia.

A proposta pode ser apresentada após a reunião emergencial da cúpula de líderes da UE em Versalhes, nos dias 10 e 11 de março. A informação é de servidores com conhecimento dos preparativos. As autoridades ainda estão trabalhando nos detalhes sobre o funcionamento da venda de dívidas e a quantia a ser levantada.

A diferença entre os rendimentos dos títulos públicos de 10 anos de Itália e Alemanha — importante indicador de risco na região — diminuiu 0,10 ponto percentual para 1,51 ponto percentual após a notícia. Os rendimentos dos títulos da UE subiram com a perspectiva de aumento da oferta. O euro ampliou os ganhos em relação ao dólar, subindo 0,6% para US$ 1,0920.

A medida extraordinária viria apenas um ano depois que a UE lançou um pacote emergencial de 1,8 trilhão de euros (US$ 2 trilhões) sustentado por dívida conjunta para ajudar os países integrantes do bloco a enfrentar a pandemia. Agora, as necessidades de financiamento são enormes, com o início da reforma da infraestrutura militar e energética após a invasão da Ucrânia pela Rússia.

PUBLICIDADE

“Precisamos encontrar novas ferramentas para lidar com os novos problemas que esta crise colocou diante de nós”, disse o comissário da UE para a economia, Paolo Gentiloni, na segunda-feira a parlamentares reunidos em Estrasburgo, na França. Ele adiantou que os líderes da UE devem dar orientações políticas sobre outras providências durante a cúpula.

Pablo GentiloniFotógrafo: Valeria Mongelli/Bloombergdfd

Um porta-voz da comissão não quis comentar os detalhes, mas afirmou que as autoridades continuam monitorando a situação e estão prontas para reagir a mudanças nas circunstâncias.

De acordo com o plano, a Comissão Europeia, braço executivo do bloco, emitiria títulos e depois canalizaria os recursos para os estados membros na forma de empréstimos em condições preferenciais para financiar gastos nessas áreas. A informação é de autoridades que pediram anonimato porque os planos são privados.

Uma opção em estudo é estruturar a emissão nos moldes do programa SURE, disseram alguns dos entrevistados, se referindo ao esquema usado para financiar iniciativas para geração de empregos na pandemia.

PUBLICIDADE

Veja mais em bloomberg.com

Leia também

Imposto de Renda 2022: como declarar NFT, Bitcoin e outras criptos

Petróleo segue escalada com recuo da Shell na Rússia