Mercados

Ibovespa oscila com recuo no exterior e impulso de Vale

Principal índice da bolsa equilibra a pressão baixista pelos recuos de mercados acionários no exterior e o impulso do papel da Vale na direção oposta

A monitor displays stock information on the floor of the New York Stock Exchange (NYSE) on the floor of the New York Stock Exchange (NYSE) in New York, U.S., on Friday, Dec. 31, 2021. U.S. stocks swung between gains and losses, with moves exacerbated by thin trading on the last session of the year. Photographer: Michael Nagle/Bloomberg
07 de Março, 2022 | 11:23 am
Tempo de leitura: 1 minuto

Bloomberg Línea — O Ibovespa (IBOV) oscila na manhã desta segunda-feira (7), equilibrando a pressão baixista pelos recuos de mercados acionários no exterior e o impulso do papel da Vale (VALE3) na direção oposta. A alta das commodities ajuda o papel da mineradora, mas as ações da Petrobras (PETR4) e (PETR3) ficam de fora da festa, com as avaliações sobre reajuste nos combustíveis somado à mudança no conselho da petroleira.

Os traders vêm apostando que o petróleo poderia subir ainda mais depois de atingir o nível mais alto desde 2008; alguns até afirmam que os futuros ultrapassarão US$ 200 antes do final de março.

Os preços das opções de compra subiram nesta segunda-feira (7), quando o mercado avaliou a possibilidade de um corte no abastecimento da Rússia, um dos maiores exportadores do mundo. Mais de 1,2 mil contratos para a opção de comprar futuros de Brent para maio a US$ 200 o barril foram negociados nesta segunda, segundo dados da ICE Futures Europe.

  • Perto da 11h00, o Ibovespa caía 0,2%, a 114.254 pontos
  • O dólar caía 0,3%, a R$ 5,05, enquanto os vencimentos dos juros avançavam. O DI para janeiro de 2023 subia de 12,975% para 13,030%
  • Nos EUA, o futuro do Dow Jones caía 0,26%, do S&P 500, 0,20% e do Nasdaq, 0,19%

Contexto

À medida que a invasão russa da Ucrânia se aproxima da marca de duas semanas, as apostas para ambos os lados na guerra terrestre parecem aumentar, com implicações potencialmente catastróficas para os civis ucranianos e maiores desafios para a defesa do país, até agora notavelmente bem-sucedida.

PUBLICIDADE

O presidente Vladimir Putin disse novamente no domingo que a guerra continuará até que a Ucrânia aceite suas demandas e interrompa a resistência, diminuindo as esperanças de um acordo negociado. Putin diz que a Ucrânia deve “desmilitarizar” e deixou claro que seu objetivo é remover o atual governo.

Por aqui, a preocupação é como a alta do petróleo vai afetar os consumidores. A Petrobras deve buscar aprovação do governo para elevar os preços dos combustíveis, conforme a Reuters citando fontes. Espera-se um pequeno aumento do preço nas refinarias, mas ainda abaixo dos preços internacionais, conforme a agência.

Kariny Leal

Kariny Leal

Jornalista carioca, formada pela UFRJ, especializada em cobertura econômica e em tempo real, com passagens pela Bloomberg News e Forbes Brasil. Kariny cobre o mercado financeiro e a economia brasileira para a Bloomberg Línea.