PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Internacional

Dono do Chelsea é contatado pela Ucrânia para ajudar a negociar a paz

Bilionário está sob pressão de políticos do Reino Unido após a invasão russa da Ucrânia

Abramovich tem um patrimônio líquido de cerca de US$ 13 bilhões, segundo o Bloomberg Billionaires Index
Por David Hellier
28 de Fevereiro, 2022 | 10:51 am
Tempo de leitura: 1 minuto

Bloomberg — O proprietário do Chelsea Football Club, Roman Abramovich, está tentando ajudar a mediar o fim da guerra na Ucrânia, disse seu porta-voz na segunda-feira.

“Posso confirmar que Roman Abramovich foi contatado pelo lado ucraniano para obter apoio para alcançar uma resolução pacífica e que ele vem tentando ajudar desde então”, disse sua porta-voz em comunicado por e-mail.

PUBLICIDADE

O bilionário está sob pressão de políticos do Reino Unido após a invasão russa da Ucrânia. Chris Bryant, membro do Partido Trabalhista de oposição da Grã-Bretanha, disse à Câmara dos Comuns que Abramovich não deveria ter permissão para possuir um clube de futebol inglês.

Em um tweet na segunda-feira, Bryant disse: “Isso parece outra mentira russa na tentativa de evitar ser sancionado. Se ele está tão perto de Putin que pode exercer tal influência, se ele visitou Putin na semana passada, ele deveria ser sancionado agora.”

Abramovich tem um patrimônio líquido de cerca de US$ 13 bilhões, segundo o Bloomberg Billionaires Index, tendo construído sua fortuna com dividendos e vendas de ativos privatizados adquiridos da antiga União Soviética.

PUBLICIDADE

Veja mais: AO VIVO: Oficiais de Rússia e Ucrânia se encontram para negociações

A Ucrânia disse que uma delegação liderada por seu ministro da Defesa chegou na segunda-feira à fronteira com a Belarus para conversar com autoridades russas.

Abramovich entregou neste sábado o controle direto do Chelsea FC aos curadores da fundação de caridade do clube de futebol da Premier League, buscando publicamente se distanciar de um dos maiores ativos esportivos de Londres depois que líderes ocidentais pesaram mais sanções contra a Rússia e seus oligarcas.

A declaração não fez menção à invasão da Ucrânia pela Rússia, não detalhou se Abramovich planeja desistir do controle do clube ou se ele finalmente retomará seu papel.

Veja mais em Bloomberg.com

Leia também

Airbnb fornecerá acomodação para 100 mil refugiados ucranianos

PUBLICIDADE