Mercados

Campos Neto: Projeto piloto do Real Digital começa no segundo semestre

Presidente do Banco Central fala do processo de inovação do sistema financeiro brasileiro durante evento do BTG Pactual

O presidente do BC, Roberto Campos Neto, falou dos projetos de inovação do sistema financeiro nacional
22 de Fevereiro, 2022 | 06:24 pm
Tempo de leitura: 4 minutos

São Paulo — O Brasil deve começar a colocar em prática o projeto piloto de criação do Real Digital no segundo semestre deste ano, após a implementação das regras do novo marco legal do câmbio, promulgado no fim de 2021.

“A gente tem um piloto do Real Digital que deve ser colocado já em prática no segundo semestre”, disse o presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, nesta terça-feira (22), durante evento realizado pelo BTG Pactual, em São Paulo.

Veja mais: Guedes promete redução do IPI em 25% e possível saque do FGTS

Essa iniciativa faz parte do movimento de modernização, simplificação e digitalização do Sistema Financeiro Nacional, acelerado pelo lançamento do Pix, sistema de pagamentos instantâneos no quarto trimestre de 2020. “Implementando a lei cambial, a gente vai para a moeda digital”, acrescentou.

PUBLICIDADE

Desde agosto de 2020, o BC tem um grupo de trabalho interno criado para discutir a possível criação do Real Digital, seguindo uma tendência de outros bancos centrais do mundo, com o norte-americano Federal Reserve.

O presidente do BC apresentou o cronograma do Lift Challenge (Laboratório de Inovações Financeiras e Tecnológicas de Desafio do Real Digital), criado com o objetivo avaliar casos de uso de uma moeda digital emitida pelo BC bem como sua viabilidade tecnológica.

O cronograma exibido hoje por Campos Neto aponta o quarto trimestre deste ano como o próximo passo para o projeto piloto. No próximo dia 4 de março, está prevista a divulgação dos projetos selecionados e o próximo dia 28 de março, o início da execução dos projetos, com o fim da execução prevista para o dia 29 de julho.

No início das discussões sobre o assunto, o BC sinalizava para 2024 a expectativa de implementação da iniciativa. O ecossistema de pagamentos instantâneos criado pelo Pix é visto por especialistas como o ambiente ideal para o uso do Real Digital, visto que, assim como o Pix, o Real Digital pretende ser uma maneira de se realizar pagamentos de forma instantânea e com um menor número de intermediários do que nas formas tradicionais de pagamento, como o cartão de crédito.

PUBLICIDADE

Vazamentos do Pix

Ao conversar com o CEO do BTG Pactual, durante o evento CEO Conference 2022, Campos Neto falou também sobre os casos de vazamentos de dados do Pix e a política de segurança de dados dos usuários. Segundo o presidente do BC, haverá transparência total na divulgação desses casos, pois acabará dando credibilidade ao sistema.

De forma alguma a gente quer banalizar os vazamentos”, afirmou Campos Neto, acrescentando que os dados vazados não costumam ser relevantes.

“Tivemos um vazamento recente. Grande parte dos dados que vazaram é de CPF e do nome. Hoje se você tirar seu talão de cheque, você vai ver que tem seu CPF e seu nome e você dá ele para qualquer um e não se preocupa com isso”, exemplificou.

No último dia 21 de janeiro, o BC comunicou o vazamento de dados pessoais vinculados a chaves Pix, que estavam sob responsabilidade da empresa Acesso Soluções de Pagamentos. No dia 20 de setembro, foi a vez de anunciar a ocorrência de vazamento de dados de chaves Pix no Banese (Banco do Estado de Sergipe).

Campos Neto disse que o BC vai tentar fazer o volume de vazamentos ser o menor possível, mas que esse problema atinge desde pequenas a grandes empresas, como governos e instituições financeiras. “Os vazamentos não são do Banco Central, ocorrem por falhas localizadas em instituições. Temos 767 instituições. Existe um alto compromisso com a segurança de dados”, afirmou.

Inflação

Durante sua participação no painel do evento do BTG Pactual, o presidente do BC também abordou a evolução dos principais indicadores macroeconômicos do Brasil e dos EUA, especialmente sobre o comportamento dos juros, da inflação, do crédito, da inadimplência, da dívida pública e PIB (Produto Interno Bruto).

PUBLICIDADE

Ele disse que os EUA vão conviver com uma inflação mais persistente por mais tempo e que esse processo de aceleração inflacionária também é visto em outras partes do mundo, como a Europa, diante da tendência de alta dos preços das commodities e de energia, levando os bancos centrais a promoverem aumentos das taxas de juros.

Campos Neto avaliou que o atual cenário macroeconômico ainda não permite dizer qual será o impacto para o fluxo de capital para países emergentes, como o Brasil, mas ele lembrou que, em 12 meses, o real é a moeda que mais valoriza no mundo.

Sobre a economia brasileira, o presidente do BC citou dados de melhora da confiança e da atividade econômica, antevendo revisões para cima das projeções do mercado que apontam o PIB perto de zero em 2022. Quanto à inflação, ele disse que o índice oficial vai permanecer alto, mas entre abril e maio deste ano pode começar a acelerar um movimento de queda.

Pela manhã, o ministro da Economia, Paulo Guedes, também reforçou a expectativa de que a mediana das projeções dos economistas, divulgada às segundas-feiras no Boletim Focus, deve passar por revisões para cima para o PIB projetado para o ano.

PUBLICIDADE

Leia também

Biden anuncia primeira rodada de sanções contra a Rússia

Sérgio Ripardo

Sérgio Ripardo

Jornalista brasileiro com mais de 25 anos de experiência, com passagem por sites de alcance nacional como Folha e R7, cobrindo indicadores econômicos, mercado financeiro e companhias abertas.

PUBLICIDADE