Internacional

Petróleo recua novamente com traders avaliando crise na Ucrânia e no Irã

Investidores correm atrás de barris físicos, seguindo o aumento da demanda no mundo, enquanto observam as tensões na Rússia

WTI para entrega em março caía 2%, a US$ 89,92 por barril, às 7h46, horário de Brasília
Por Sharon Cho e Alex Longley
18 de Fevereiro, 2022 | 08:28 am
Tempo de leitura: 1 minuto

Bloomberg — Os preços do petróleo caminhavam para uma perda semanal com investidores avaliando a crise na Ucrânia e a possibilidade de que o acordo nuclear do Irã possa ser revivido.

O West Texas Intermediate (WTI) caiu abaixo de US$ 90 por barril, estendendo o recuo de 2% de quinta-feira (17). O índice de referência de petróleo dos EUA está a caminho do primeiro declínio semanal deste ano, encerrando uma série de ganhos de oito semanas.

Depois que os EUA aumentaram os alertas nos últimos dias de um possível ataque russo à Ucrânia, o secretário de Estado dos EUA, Antony Blinken, e o ministro das Relações Exteriores da Rússia, Sergei Lavrov, concordaram em se reunir para conversas na próxima semana. Moscou disse que não tem planos de atacar seu vizinho menor.

O petróleo permanece próximo do maior nível desde 2014, após um rali sustentado por uma demanda crescente, oferta restrita e estoques em declínio. A estrutura de preços do mercado ainda aponta para uma demanda robusta por barris físicos, com traders dispostos a pagar prêmios altos por suprimentos de curto prazo.

PUBLICIDADE

Há especulações crescentes de que o acordo nuclear do Irã pode ser revivido, potencialmente abrindo caminho para a remoção das sanções dos EUA às exportações de petróleo do país. No início desta semana, o principal negociador de Teerã, Ali Bagheri Kani, twittou que os esforços para restaurar o acordo estão “mais próximos do que nunca” de um acordo.

“A crise da Ucrânia está ficando em segundo plano diante da perspectiva de barris iranianos inundando o mercado”, disse Stephen Brennock, analista da corretora PVM Oil Associates. “Apesar de toda a conversa sobre guerra e conflito, os participantes do mercado ainda não estão convencidos. Talvez seja por isso que o prêmio de risco geopolítico está começando a diminuir”.

Preços do petróleo

  • O WTI para entrega em março caía 2%, a US$ 89,92 por barril, às 7h46, horário de Brasília
  • O Brent para liquidação de abril recuava 1,7%, para US$ 91,40 o barril

As questões em torno do acordo nuclear do Irã devem ser discutidas em uma importante reunião de segurança transatlântica em Munique neste fim de semana. A suspensão das sanções sobre os embarques de petróleo do produtor do Golfo Pérsico seria uma fase posterior do acordo, informou a Reuters, citando um rascunho de texto e diplomatas não identificados.

Mais notícias do petróleo

  • O petróleo subindo para quase US$ 100 o barril está fazendo pouco para desacelerar a demanda, já que as refinarias na Ásia procuram aumentar as taxas de processamento.
  • Os pioneiros do Texas que deram início à revolução do xisto nos Estados Unidos estão resistindo à tentação de bombear mais petróleo.
  • A China National Offshore fechou negócios no valor de US$ 13 bilhões para aumentar a oferta de petróleo e gás.

Leia também

PUBLICIDADE

Novo presidente da Fiesp quer estar próximo de qualquer governo

Desmatamento afeta preço da terra e torna agro do Brasil mais competitivo

PUBLICIDADE