PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Internacional

Pior da inflação de alimentos ainda está por vir, diz presidente da Tesco

John Allan, presidente da Tesco desde 2015, previu um aumento no preço dos alimentos de 5% nos próximos meses

vão apertar ainda mais os bolsos
Por Deirdre Hipwell
07 de Fevereiro, 2022 | 10:19 am
Tempo de leitura: 2 minutos

Bloomberg — A inflação dos preços dos alimentos pode subir até 5% em abril, exacerbando a crescente crise de custo de vida no Reino Unido, segundo o presidente da maior rede de supermercados do país.

John Allan, presidente da Tesco desde 2015, disse que o pior do aumento dos preços dos alimentos ainda está por vir - o que pode pressionar ainda mais as pessoas que já enfrentam contas de energia inchadas e aumentos de impostos a partir de abril.

PUBLICIDADE

A Tesco controla cerca de 28% do mercados do Reino Unido. As observações de Allan foram feitas algumas semanas depois que o CEO da rede, Ken Murphy, alertou que a cadeia de supermercados estava enfrentando custos crescentes, e que estava trabalhando para mitigá-los. O Banco da Inglaterra previu, na semana passada, que a inflação poderia subir cerca de 7% a partir de março - a mais alta desde as últimas três décadas - e só cairia o suficiente para atingir sua meta em dois anos.

“Isso nos incomoda, e tenho certeza que incomoda muitas pessoas, que sejam obrigadas a escolher entre aquecer suas casas e alimentar suas famílias”, disse Allan, da Tesco, ao programa da manhã de domingo da BBC. “E isso claramente é uma situação que nenhum de nós deve tolerar.”

Embora a inflação dos preços dos alimentos na Tesco tenha sido de apenas 1% no último trimestre, a rede de supermercados e seus muitos fornecedores estão sendo atingidos por contas de energia mais altas, o que pode atuar como um gatilho para a inflação, segundo Allan. Os preços da gasolina também não devem cair muito em breve, disse ele.

PUBLICIDADE

“Eu previ, em outubro do ano passado, que os preços dos alimentos poderiam subir cerca de 5% entre março e abril”, disse Allan. “Acredito sinceramente que não vai ser mais do que isso, pode até ser um pouco menos. Mas é claro que 5%, se você está gastando – como algumas das famílias menos abastadas estão gastando – 15% de sua renda familiar, é significativo.”

A menos que os trabalhadores recebam um grande incremento salarial, os amplos aumentos de preços de alimentos, roupas e gasolina vão apertar ainda mais os bolsos. O Banco da Inglaterra elevou na semana passada sua taxa básica de juros em uma segunda reunião consecutiva, enquanto tenta evitar um aperto catastrófico para as famílias e a economia.

As ações da Tesco foram pouco alteradas nas negociações de Londres na segunda-feira (7).

– Esta notícia foi traduzida por Marcelle Castro, Localization Specialist da Bloomberg Línea.

Veja mais em bloomberg.com

Leia também

PUBLICIDADE