Mercados

Nasdaq desaba com Meta e euro sobe após fala de Lagarde

Investidores passaram a antecipar apostas nos aumentos das taxas pelo BCE; rentabilidade dos títulos da Alemanha é a maior desde 2015

Nasdaq desaba com Meta e euro sobe após fala de Lagarde
Por Elaine Chen e Emily Graffeo
03 de Fevereiro, 2022 | 01:51 pm
Tempo de leitura: 2 minutos
Últimascotações

Bloomberg — Os mercados de ações dos EUA têm forte baixa nesta quinta-feira, com os investidores digerindo os resultados decepcionantes da Meta Platforms Inc. (FB), controladora do Facebook, e as preocupações com a inflação persistentemente alta do Banco Central Europeu.

O euro subiu junto com os rendimentos dos títulos globais após a presidente do BCE, Christine Lagarde, fazer comentários percebidos como hawkish, levando os investidores a antecipar as apostas nos aumentos das taxas do BCE. Eles agora esperam que o aperto este ano seja de cerca de 40 pontos base, ante 25 antes da última decisão de política monetária.

Os títulos do Tesouro dos EUA seguiram os da zona do euro em baixa e o dólar recuou em relação às demais moedas globais. Enquanto isso, o S&P 500 (SPX) e o Nasdaq 100 (NDX) interromperam sua melhor série de ganhos desde 2020, quando a Meta perdeu mais de US$ 200 bilhões de seu valor de mercado.

Há um “tom mais agressivo da política monetária e dos lucros que talvez precisem ser reavaliados à medida que a economia global começar a desacelerar”, disse Chad Morganlander, gerente sênior de portfólio da Washington Crossing Advisors. “Esta é a nova realidade com a qual os investidores globais precisam se conformar.”

PUBLICIDADE

Os números fracos de gigantes de tecnologia dos EUA, incluindo a Spotify Technology SA (SPOT), abalaram os investidores que apostavam que uma forte temporada de lucros manteria as ações atraentes e combateria algumas de suas preocupações, incluindo uma política monetária mais rígida. Os mercados oscilaram acentuadamente e as ações estão sofrendo perdas este ano, à medida que as autoridades dos bancos centrais reduzem os estímulos para conter a inflação.

Caminhada rápidas

Na Europa, o Banco da Inglaterra elevou sua taxa básica e sinalizou que começaria a reduzir o balanço patrimonial com títulos. Enquanto isso, o BCE manteve suas taxas de juros e disse que as compras líquidas sob seu programa de apoio emergencial terminarão em março.

Lagarde disse que a inflação permanecerá elevada por mais tempo, mas o banco central está se aproximando “muito mais” de sua meta de inflação. O rendimento de dois anos da Alemanha subiu para o maior patamar desde 2015. O Stoxx Europe 600 caiu abaixo de sua média móvel de 100 dias.

PUBLICIDADE

“À medida que os mercados se concentram em grandes posições de política monetária de mercados desenvolvidos – e o sentimento dos investidores em todo o mundo muda – os lançamentos de dados de atividade econômica serão fundamentais”, disse Marilyn Watson, chefe de estratégia global de renda fixa fundamental da BlackRock (BKCC).

O crescimento no setor de serviços dos EUA recuou em janeiro para o ritmo mais lento em quase um ano. Enquanto isso, os pedidos iniciais de seguro-desemprego nos EUA caíram mais do que o esperado na semana passada, para 238 mil, antes do relatório do payroll de sexta-feira.

“O relatório de empregos de amanhã é um lembrete de que as expectativas para a política do Fed são a principal influência neste mercado agora, e se os dados econômicos, especialmente os dados de inflação, chegarem ‘muito quentes’, isso reacenderá as preocupações do Fed como em janeiro, e esperaria pelo menos um retorno parcial da volatilidade de janeiro”, escreveu Tom Essaye, um ex-operador da Merrill Lynch que fundou o boletim informativo “The Sevens Report”. “Resumindo, a política do Fed ainda é muito importante para este mercado.”

O acompanhar nesta semana:

  • Relatório do Payroll de folhas de pagamento dos EUA para janeiro, sexta-feira;
  • Jogos Olímpicos de Inverno começam na China, o presidente da Rússia, Vladimir Putin, deve participar da cerimônia de abertura, sexta-feira;

Alguns dos principais movimentos nos mercados:

Ações

  • O S&P 500 (SPX) tinha baixa de 1,4% às 11h45 (13h45 em Brasília);
  • O Nasdaq 100 (NDX) recuava 2,7%;
  • O Dow Jones Industrial (INDU) tinha baixa de 0,7%;
  • O MSCI World (MXWO) teve recuava 1%;

Moedas

  • O Bloomberg Dollar Spot Index (DXY) recuava 0,3%;
  • O euro (EUR) subia 1% para US$ 1,1422;
  • O iene japonês (JPY) recuava 0,4% para 114,87 por dólar;

Renda fixa

  • O rendimento dos títulos do Tesouro de 10 anos (GT10) subia cinco pontos-base para 1,82%;
  • O rendimento dos títulos de 10 anos do Reino Unido subia onze pontos-base para 1,37%;
  • O rendimento dos títulos de 10 anos da Alemanha subia dez pontos-base para 0,14%;

Commodities

  • O petróleo bruto West Texas Intermediate (WTI) subia 0,1% para US$ 88,38 o barril;
  • O ouro (XAU) recuava 0,3% para US$ 1.804,10.

Veja mais em Bloomberg.com

Leia também

PUBLICIDADE