PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Brasil

Black Friday não vinga e vendas no varejo sobem 0,6% em novembro

No ano, o varejo acumula alta de 1,9% e nos últimos doze meses, também crescimento de 1,9%

Tempo de leitura: 1 minuto

Bloomberg Línea — As vendas no varejo brasileiro tiveram uma alta mensal de 0,6% em novembro, mês da Black Friday, com queda em cinco das oito atividades monitoradas. No ano, o varejo acumula alta de 1,9% e nos últimos doze meses, também crescimento de 1,9%. As informações foram divulgadas nesta sexta-feira (14) pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística).

  • Entre as oito atividades pesquisadas, cinco tiveram taxas negativas em novembro, com queda nas vendas de móveis e eletrodomésticos, assim como tecidos, vestuário e calçados (-1,9%), combustíveis e lubrificantes (-1,4%) e livros, jornais, revistas e papelaria (-1,4%).
  • Do outro lado, o varejo avançou puxado, principalmente, pelo crescimento de hipermercados, supermercados, produtos alimentícios, bebidas e fumo (0,9%).
  • Também avançaram artigos farmacêuticos, médicos, ortopédicos, de perfumaria e cosméticos (1,2%) e outros artigos de uso pessoal e doméstico (2,2%).
  • Na comparação com novembro de 2020, o varejo caiu 4,2%

Varejo ampliado

No comércio varejista ampliado, o crescimento de 0,5% no volume de vendas, em novembro, foi influenciado pelas taxas positivas de veículos, motos, partes e peças (0,7%) e material de construção (0,8%), depois dos resultados negativos do mês anterior, -0,4% e -0,8%, respectivamente.

PUBLICIDADE

Segundo o gerente da pesquisa do IBGE, Cristiano Santos, em nota, o resultado fraco para o mês conhecido pelas compras da Black Friday se deu, em parte, por conta da inflação e também porque a maior disponibilidade de crédito nos meses anteriores acabou por antecipar essas compras.

Volume de serviços

Ontem, o IBGE também divulgou o volume de serviços no Brasil no mês, com uma alta de 2,4% na comparação com outubro de 2021.

Com isso, o setor se encontra 4,5% acima do nível pré-pandemia e no mesmo patamar de dezembro de 2015.

PUBLICIDADE
  • Na série sem ajuste sazonal, frente a novembro de 2020, o volume de serviços avançou 10%, nona taxa positiva consecutiva.

Leia também

Chile: Presidente eleito dá choque de realidade em investidores

Ana Siedschlag

Ana Carolina Siedschlag

Editora na Bloomberg Línea. Jornalista brasileira formada pela Faculdade Cásper Líbero e especializada em finanças e investimentos. Passou pelas redações da Forbes Brasil, Bloomberg Brasil e Investing.com.

PUBLICIDADE