PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Mercados

Petróleo sobe com menores receios pelo avanço da ômicron

Investidores monitoram que variante mais branda, principalmente em pessoas vacinadas, diminui o impacto no consumo de energia

Tempo de leitura: 2 minutos

Bloomberg — Os preços do petróleo caminham para o quarto ganho semanal consecutivo, a sequência mais longa desde outubro, com sinais de que o mercado está se restringindo à medida que o consumo global resiste ao impacto da variante do vírus ômicron.

O petróleo Brent (BRENT) era negociado acima de US$ 85 depois de subir mais de 4% esta semana. O benchmark global de petróleo teve um forte início de ano, que foi paralisado pelos menores estoques de petróleo dos EUA.

PUBLICIDADE

Brent a caminho de um quarto ganho semanal

O petróleo agora recuperou a maioria das perdas no final do ano passado, causadas pela ômicron e pelas liberações lideradas pela Casa Branca das reservas nacionais de petróleo. Embora tenha se mostrado de rápida disseminação, a variante também parece ser mais branda, principalmente em pessoas vacinadas, diminuindo o impacto no consumo de energia. A Agência Internacional de Energia disse no início desta semana que a demanda global por petróleo acabou sendo mais forte do que o esperado.

Os preços do petróleo estão encontrando apoio nos mercados físicos - onde barris reais são comprados e vendidos - à medida que os suprimentos mudam de mãos com prêmios altos. Há também força global no setor de diesel. Com os preços subindo, os comerciantes estão observando se a Organização dos Países Exportadores de Petróleo e seus aliados, a Opep+, serão capazes de entregar os aumentos de produção mensais planejados na totalidade.

“A queda de preço que foi desencadeada pelo surgimento da variante ômicron foi revertida completamente”, disse Carsten Fritsch, analista do Commerzbank AG. “O impacto da variante na demanda por petróleo tem sido consideravelmente mais suave até agora do que se temia inicialmente.”

PUBLICIDADE

Preços do petróleo

  • O Brent para liquidação de março subia 1,2% para US$ 85,45 por barril às 7h42, horário de Brasília
  • O WTI (WTI) para entrega em fevereiro aumentou 1% para US$ 82,97 o barril

O otimismo sobre as perspectivas se reflete na estrutura de preços retroativa de alta do mercado, com contratos de curto prazo acima dos mais distantes. O spread entre os dois contratos mais próximos do West Texas Intermediate está agora bem acima de US$ 6 por barril, acima dos menos de US$ 3 no início de dezembro.

Apesar do clima amplamente positivo, há tons de cautela. A China manteve sua abordagem estrita ao vírus, enquanto a Índia e alguns outros países asiáticos introduziram restrições parciais e viram uma queda na mobilidade. Na segunda-feira, a China deve confirmar seu crescimento econômico mais fraco em mais de um ano, depois de relatar uma queda nas importações anuais de petróleo na sexta-feira.

Leia também

PUBLICIDADE

Consumo dos brasileiros será menor que o esperado em 2021

Chile: Presidente eleito dá choque de realidade em investidores

PUBLICIDADE