PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Saúde

CEO do JPMorgan emite alerta a funcionários não-vacinados

Maior banco dos EUA aplica leis regionais sobre vacinação e exige que os trabalhadores em Nova York tenham doses do imunizante

Jamie Dimon
Tempo de leitura: 1 minuto

Bloomberg — Jamie Dimon, CEO do JPMorgan (JPM), emitiu um alerta para a falta de vacinação entre a equipe do banco em Nova York.

“Para ir ao escritório, você precisa ser vacinado e, se não for vacinado, não poderá trabalhar naquele escritório”, disse Dimon na segunda-feira em entrevista à CNBC. “E não vamos pagar para você não trabalhar no escritório.”

PUBLICIDADE

O aviso vem depois que o credor implementou um mandato de vacina em nove prédios de escritórios de Manhattan no mês passado. Dimon disse que 97% dos funcionários da empresa em Nova York já estão vacinados. O rival Citigroup (C) está ameaçando funcionários não vacinados com demissão ainda este mês.

Ao contrário do Citigroup, o banco de Dimon não exige vacina para todos os funcionários, mas ajusta as estratégias com base nas diversas circunstâncias das cidade em que o maior banco dos EUA opera, disse ele.

“Ao contrário de qualquer outra política que já tivemos, não estamos tentando ser consistentes”, disse Dimon. “Existem leis diferentes e requisitos nas diferentes cidades, estados e escolas, e aqui estamos nos ajustando localmente.”

PUBLICIDADE

O CEO de longa data também comentou sobre a saúde do consumidor antes do relatório de ganhos do quarto trimestre da empresa no final desta semana, dizendo que os consumidores nunca estiveram em melhor forma.

“Eles estão gastando 25% a mais hoje do que antes da Covid”, disse Dimon. “Os preços das casas estão em alta, os preços das ações estão em alta, os empregos são abundantes, os salários estão subindo.”

No que diz respeito à inflação e ao potencial de aumento das taxas do Federal Reserve, Dimon disse que o banco central projetará um pouso suave “se tivermos sorte”. Ainda assim, é possível que a inflação seja pior do que o Fed pensa e precise aumentar as taxas mais do que o esperado atualmente, disse ele.

Leia também

PUBLICIDADE