PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Mercados

Ibovespa fecha em queda seguindo exterior negativo

Nos mercados locais e externos, investidores já balizam negociações na expectativa da alta de juros pelo Fed

Nextdoor
10 de Janeiro, 2022 | 07:03 pm
Tempo de leitura: 1 minuto

Bloomberg Línea — O Ibovespa (IBOV) encerrou o primeiro pregão da semana no vermelho, seguindo a tendência negativa observada nos principais mercados globais, na Europa e nos Estados Unidos, onde, especificamente, os investidores já trabalham com a perspectiva de alta nos juros pelo Federal Reserve. O dólar sofreu o mesmo efeito e fechou em alta, assim como as taxas do DI.

PUBLICIDADE
  • A bolsa ficou abaixo dos 102 mil pontos, com destaque para as perdas nos papéis da Vale (VALE3), devido as paralisações nas operações decorrentes das chuvas em Minas Gerais. O Banco Inter (BIDI11) liderou as perdas, em um movimento de correção das altas da sessão anterior. O dólar, por sua vez, se aproximou dos R$ 5,70.

A volatilidade toma conta dos mercados à medida que a liquidez pandêmica que ajudou a levar as ações a níveis recordes é retirada. O Federal Reserve provavelmente aumentará as taxas de juros quatro vezes este ano e iniciará seu processo de redução no balanço já em julho, se não antes, de acordo com o Goldman Sachs Group Inc.

Em Nova York, os mercados de ações reduziram o ritmo de perdas, que chegaram a superar 2% pela manhã, após os investidores aproveitarem oportunidades com preços que surgiram após cinco dias de baixa - a mais longa sequência de perdas desde setembro.

PUBLICIDADE

O S&P 500 (SPX) caiu menos de 1%, impulsionado por sinais de que a variante do coronavírus ômicron pode estar atingindo o pico em Nova York. O Nasdaq 100 (NDX) reduziu as perdas após as fortes vendas que levaram o indicador de gigantes como Apple Inc. e Microsoft Corp. a cair até 8,5% abaixo de seu recorde de novembro.

  • Câmbio: O dólar subiu 0,72%, para R$ 5,67;
  • Bolsa: O Ibovespa caiu 0,75%, para 101.945 pontos;
    • Entre as maiores altas percentuais ficaram Usiminas (USIM5), Fleury (FLRY3) e CSN (CSNA3). Nas maiores perdas: Banco Inter (BIDI11), Magazine Luiza (MGLU3) e Méliuz (CASH3);
  • Juros: O DI com vencimento para janeiro de 2025 subiu de 11,38% para 11,48% enquanto o de 2027 foi de 11,27% para 11,37%;
  • Exterior: Em Nova York, o Dow Jones (INDU) teve recuo de 0,45% e o S&P 500 de 0,45%, enquanto o Nasdaq subiu 0,05%;
  • Bitcoin: A criptomoeda operava em queda de 1,84%, a US$ 41.708, por volta das 18h30.

-- Com informações de Bloomberg News

Leia também

Igor Sodré

Igor Sodré

Jornalista com formação pela Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo, com experiência na cobertura de cultura e economia, tendo como foco mercado financeiro e companhias. Passou pela Bloomberg News e TradersClub.