PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Internacional

Eventos da Broadway mantêm obrigatoriedade de máscaras e vacinas

Política foi ampliada para ficar em vigor até 30 de abril, espetáculos estão encerrando eventos

Bairro da cidade famoso por seus teatros e apresentações musicais reabriu as portas recentemente; no entanto, a variante ômicron ameaça estabilidade
Por Shelly Banjo
10 de Janeiro, 2022 | 07:29 pm
Tempo de leitura: 1 minuto

Bloomberg — Os operadores de teatro da Broadway, na cidade de Nova York, estão estendendo a exigência de máscaras e vacinação até 30 de abril, disse a Broadway League nesta segunda-feira (10).

Os proprietários e operadores de todos os 41 teatros da Broadway disseram que os locais também começarão a exigir a comprovação de vacinação completa para crianças de 5 a 11 anos a partir de 29 de janeiro, segundo comunicado.

PUBLICIDADE

“Nossos teatros e shows estão abertos”, disse Charlotte St. Martin, presidente da Broadway League. “Estamos orgulhosos de manter o alto padrão dos protocolos de saúde da covid em todos os nossos teatros da Broadway em Nova York”.

A Broadway, que havia acabado de comemorar sua reabertura em setembro depois de ficar fechada por 18 meses, foi duramente atingida pelo recente aumento nos casos de covid, impulsionados pela variante ômicron. Cerca de um terço dos testes de covid da cidade deram positivo nos últimos sete dias, segundo dados da cidade em 6 de janeiro.

Mais de uma dezena de teatros tiveram de fechar temporariamente as portas devido a membros do elenco e outros funcionários testarem positivo para covid, resultando em uma queda na receita que levou alguns shows a encerrar suas temporadas mais cedo. O espetáculo “Waitress” encerrou a temporada duas semanas antes, e “Jagged Little Pill” não vai retornar aos palcos.

PUBLICIDADE

Os fechamentos das portas na Broadway ameaçam prejudicar a indústria do turismo da cidade, que gera cerca de um quinto da base de impostos sobre vendas da cidade e é um importante contribuinte para a economia local.

--Com a colaboração de Amanda Gordon.

--Esta notícia foi traduzida por Bianca Carlos, localization specialist da Bloomberg Línea.

Veja mais em Bloomberg.com

Leia também