Internacional

Criação de empregos nos EUA fica abaixo do previsto

Aumento de 199.000 vagas no payroll não agrícola de dezembro decepcionou estimativas

Obstáculos para o aumento das contratações
Por Reade Pickert
07 de Janeiro, 2022 | 11:37 am
Tempo de leitura: 2 minutos

Bloomberg — Empregadores dos Estados Unidos criaram menos vagas de empregos em dezembro do que o previsto, enquanto a taxa de desemprego caiu mais do que o esperado, aumentando as evidências de um ambiente de contratação desafiador, que está dificultando o atendimento da demanda em meio à persistente pandemia.

O aumento de 199.000 no payroll não agrícola no mês passado seguiu-se a um ganho revisado de 249.000 em novembro, revelou um relatório do Departamento do Trabalho na sexta-feira (7). A taxa de desemprego caiu para 3,9%, enquanto a taxa de participação da força de trabalho permaneceu inalterada.

Veja mais: URGENTE: Payroll decepciona e marca aumento de 199 mil vagas

Os últimos números de empregos sugerem que, apesar da demanda de trabalho ainda robusta, os fatores que impediram as contratações durante o outono - falta de creches, medo do vírus, grandes reservas de poupança - persistiram no final do ano passado. A variante ômicron, que levou os casos da Covid-19 a níveis recordes nos últimos dias, é outro obstáculo e representa um risco para o ritmo de crescimento do emprego no início de 2022.

PUBLICIDADE

A trajetória do mercado de trabalho também pode impactar o momento em que o Federal Reserve decide começar a aumentar a taxa básica de juros. Sob pressão para conter a inflação superaquecida, os legisladores observaram em sua reunião de dezembro que pode ser necessário aumentar essa taxa “mais cedo ou em um ritmo mais rápido do que os participantes haviam previsto”.

Os ganhos do mês anterior, que marcaram o fim do período de maior avanço no Payroll já registrado, são comparáveis à previsão média de 450.000, em uma pesquisa da Bloomberg com economistas. A taxa de desemprego foi projetada para cair para 4,1%.

O período da pesquisa para o relatório de empregos terminou no meio do mês, de modo que os impactos relacionados à ômicron no final de dezembro serão refletidos no relatório de janeiro.

O avanço moderado em dezembro foi liderado pelos setores de lazer e hotelaria, que subiram 53.000. O emprego em serviços profissionais e empresariais aumentou, enquanto as folhas de pagamento do comércio varejista diminuíram.

PUBLICIDADE

Enquanto isso, as empresas de manufatura e construção relataram ganhos sólidos de contratação no mês passado, um sinal bem-vindo de que as restrições de capacidade nas fábricas e entre as construtoras podem começar a diminuir em breve.

O relatório também inclui revisões de rotina dos dados da pesquisa domiciliar ajustados sazonalmente nos últimos cinco anos. Essa pesquisa é usada para calcular estatísticas como a taxa de desemprego e a participação na força de trabalho.

– Com a colaboração de Olivia Rockeman, Kristy Scheuble, Ana Monteiro e Sophie Caronello.

– Esta notícia foi traduzida por Marcelle Castro, Localization Specialist da Bloomberg Línea.

Veja mais em bloomberg.com

Leia também: 2021: o ano que o preço dos alimentos chegou ao maior nível em 10 anos

PUBLICIDADE