PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Mercados

Fed derruba ações de tecnologia e causa ‘sell-off’ de Treasuries

Possibilidade de aumentos de taxa mais rápidos e antes do esperado gerou pessimismo em relação às perspectivas para os ativos

Fed derruba ações de tecnologia
Por Jennifer Bissell-Linsk e Vildana Hajric
05 de Janeiro, 2022 | 06:31 pm
Tempo de leitura: 2 minutos

Bloomberg — Os mercados de ações dos EUA aceleraram as perdas após a ata da última reunião de política monetária do Federal Reserve sinalizar a possibilidade de aumentos de juros mais cedo e de forma mais rápida do que o investidores esperavam.

O S&P 500 caiu 1,9%, liderado por perdas em ações do setor imobiliário, enquanto o Nasdaq 100 derreteu 3,1%, conforme os operadores aumentaram a convicção de que o banco central dos EUA aumentará as taxas pelo menos três vezes este ano. O rendimento dos títulos do Tesouro de 10 anos subiu para 1,71%, o maior desde abril do ano passado. O dólar se manteve estável em relação às demais moedas globais.

“Powell foi tão explícito quanto um presidente do Fed pode ser na conclusão da última reunião”, disse John Lynch, diretor de investimentos da Comerica Wealth Management. “A declaração e o formato significam uma grande mudança, com uma redução acelerada dos estímulos e planos para três altas de juros em 2022.”

As ações de tecnologia despencaram pelo segundo dia, com o aumento dos rendimentos dos títulos do Tesouro dos EUA ampliando os receios em relação às perspectivas para as empresas de rápido crescimento. No início do dia, a desvalorização das ações do setor de tecnologia se espalhou pela Ásia, com várias empresas chinesas listadas em Hong Kong tendo os papéis no menor valor em seis anos. No entanto, os mercados da Europa foram poupados, com o Stoxx Europe 600 chegando a um recorde.

PUBLICIDADE

“À primeira vista, a ata de dezembro do FOMC parece hawkish, e a reação do mercado sustenta essa visão”, disse Cliff Hodge, diretor de investimentos da Cornerstone Wealth. “O fato de os participantes do FOMC estarem discutindo aumentos de taxas mais rápidos e mais agressivos, ao lado de um ritmo mais rápido de normalização do balanço patrimonial do que a última alta, indica que a opção de venda do Fed para o mercado de ações foi reavaliada de forma mais baixa.”

Os mercados em grande parte voltaram sua atenção para o aperto da política monetária, no entanto, persistem preocupações sobre a ameaça da variante ômicron para o crescimento global. Hong Kong impôs restrições sociais e interrompeu voos de oito países. Enquanto isso, o fechamento de escolas nos EUA está acelerando à medida que a contagem de casos aumenta.

“Lembre-se do momento da reunião [FOMC] - mesmo algumas semanas atrás -, estávamos em um ponto muito diferente do que estamos agora quando se trata da ômicron. E embora a maioria preveja um efeito um tanto limitado sobre a economia, resta saber se o vírus vai ofuscar o impulso para conter a inflação“, disse Mike Loewengart, diretor-gerente de estratégia de investimento da E*Trade Financial.

Até o momento, os dados sugerem que a economia dos EUA está mantendo sua resiliência diante da variante. Antes do payroll de sexta-feira, um relatório de empregos do setor privado na quarta-feira mostrou que as empresas dos EUA em dezembro ampliaram a maioria dos empregos, no maior patamar em sete meses, indicando que os empregadores foram capazes de preencher um número quase recorde de vagas abertas.

PUBLICIDADE

O Bitcoin despencou 4,5% para US$ 44.100, o valor mais baixo desde a queda repentina do fim de semana no início de dezembro. O ouro estava mais fraco e o petróleo em Nova York reduziu os ganhos.

O que acompanhar esta semana:

  • Bullard, do Fed, discute a economia e a política monetária dos EUA em um evento na quinta-feira;
  • Daly, do Fed, discute política monetária em um painel na sexta-feira;
  • Schnabel do BCE fala em painel no sábado;

Alguns dos principais movimentos nos mercados:

Ações

  • O S&P 500 terminou o prega com baixa de 1,9%;
  • O Nasdaq 100 caiu 3,1%;
  • O Dow Jones Industrial Average caiu 1,1%;
  • O índice MSCI World caiu 1,4%;

Moedas

  • O Bloomberg Dollar Spot Index pouco mudou;
  • O euro subiu 0,2% para US$ 1,1310;
  • A libra esterlina subiu 0,1% para US$ 1,3549;
  • O iene japonês pouco mudou em 116,12 por dólar;

Renda fixa

  • O rendimento dos títulos do Tesouro de 10 anos avançou cinco pontos-base para 1,70%;
  • O rendimento de 10 anos da Alemanha avançou quatro pontos-base para -0,08%;
  • O rendimento de 10 anos da Grã-Bretanha pouco mudou em 1,09%;

Commodities

  • O petróleo bruto West Texas Intermediate pouco mudou;
  • Os futuros do ouro caíram 0,3% para $ 1.809,70 a onça.

--Com assistência de Emily Graffeo, Srinivasan Sivabalan, Michael MacKenzie e Andreea Papuc.

Veja mais em Bloomberg.com

Leia também