PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Finanças pessoais

Jovens trabalhadores dos EUA planejam se aposentar mais cedo

Pesquisa da Goldman Sachs aponta que profisisonais da a Geração Z planejam se aposentar antes dos 55 anos

Tempo de leitura: 2 minutos

Bloomberg — Eles acabaram de entrar no mercado de trabalho, mas uma parte significativa da mais nova safra de funcionários dos Estados Unidos já está fazendo planos para uma saída antecipada.

Um total de 25% dos entrevistados da Geração Z, em uma nova pesquisa da Goldman Sachs Asset Management, disseram que planejam se aposentar antes dos 55 anos. Isso está alinhado com a tendência mais recente de reavaliar o tempo de trabalho e até mesmo abandonar a vida profissional mais cedo, mas em descompasso com a realidade de quem se aposentou nos útlimos anos.

PUBLICIDADE

A maioria dos aposentados entrevistados pelo Goldman Sachs, de fato, deixou o mercado de trabalho mais cedo. Mas eles fizeram isso mais tarde na vida: a idade de aposentadoria mais comum era entre 60 e 64 anos. Apenas 8% se aposentaram antes dos 55 anos.

“Nossa principal conclusão para os trabalhadores mais jovens é que eles podem precisar planejar com premissas mais realistas”, disse Jeri Savage, chefe de pesquisa para soluções de multiativos, da Goldman Sachs Asset Management.

Essas suposições vão além da idade de aposentadoria. Um grupo mais amplo de jovens trabalhadores - aqueles com menos de 40 anos, que inclui a geração do milênio - parece pensar que precisarão de uma renda menos por ano quando já estiverem aposentados em relação ao que tem sido calculado tradicionalmente: 80% da renda da pré-aposentadoria. (Mesmo esse número foi considerado muito baixo por alguns especialistas.) Quase um terço dos entrevistados com menos de 40 anos disse que acha que vai precisar de 60% ou menos.

PUBLICIDADE

E isso não leva em conta os desafios que os trabalhadores dizem que têm enfrentado para economizar para o fim de suas vidas profissionais. Dificuldades financeiras afetaram 89% dos entrevistados em seus esforços de economizar para a aposentadoria. Além disso, 83% dos trabalhadores disseram que o pagamento dos empréstimos existentes teve algum peso em suas economias para a aposentadoria. Problema que afeta apenas 15% dos que já estão aposentados no momento. As gerações mais jovens, é claro, tiveram que pegar muito mais empréstimos para pagar a faculdade do que as anteriores.

Na pesquisa, um em cada três entrevistados disse que achava que teria que adiar a aposentadoria em um ano ou mais por causa dos efeitos colaterais financeiros negativos da pandemia da Covid-19. Os aposentados citaram as preocupações com a saúde como o motivo mais comum para se aposentar. O segundo motivo mais comum? Só estou cansado de trabalhar.

“Acreditamos que muitas das descobertas desta pesquisa podem ajudar a planejar sponsors”, disse Michael Moran, estrategista sênior de aposentadoria da Goldman Sachs Asset Management. “Os atuais trabalhadores e aposentados contam com os programas de aposentadoria do empregador como sua principal fonte de informações para o planejamento da aposentadoria.”

PUBLICIDADE

A Goldman conduziu a pesquisa entre julho e agosto de 2021 e entrevistou 1.237 pessoas, aproximadamente divididas entre os que estavam na força de trabalho e os aposentados.

Veja mais em bloomberg.com

Leia também

PUBLICIDADE