PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Tech

Open Banking na América Latina: chilena Floid levanta US$ 2,25 mi

Empresa facilita para instituições avaliarem o histórico financeiro de clientes

Da esquerda para a direita: John Grundstörm, Max Latorre, Alfonso Maira, Felipe Respaldiza, Tomas Contreras (sentado no chão), Delfina Peña, Ninoska Gacitua, Juan Jimenez
Por Marcella McCarthy (Brasil) e Bianca Carlos
10 de Dezembro, 2021 | 10:00 am
Tempo de leitura: 1 minuto

Bloomberg Línea — A Floid, plataforma de open banking com sede no Chile, mas com operações na Colômbia e no Peru, anunciou o encerramento de uma rodada seed de US$ 2,25 milhões, liderada pelo Grupo Santander e com a participação da Amarena e Carao VC.

PUBLICIDADE

“Basicamente, o que fazemos é possibilitar aos consumidores e empresas o compartilhamento de suas informações bancárias com terceiros, para que tenham acesso a todos os tipos de produtos on-line”, disse Alfonso Maira, cofundador e CEO da Floid. Um desses produtos pode ser, por exemplo, um empréstimo.

O Open Banking permite que os usuários apresentem seus dados a um banqueiro com quem não tenham relação, a fim de obter um empréstimo. Como o banqueiro tem acesso a todas as informações financeiras de uma pessoa, é mais seguro realizar um empréstimo a um novo cliente. Também há uma infinidade de outras aplicações.

PUBLICIDADE

“Fornecemos a tecnologia para que as empresas possam avaliar um cliente com base em seu histórico financeiro”, afirmou Maira.

A empresa ganha dinheiro cobrando uma taxa mensal de SaaS de seus clientes corporativos e, em seguida, cobrando uma taxa de chamada de API sobre cada transação. A maioria de seus clientes são bancos, fintechs e aplicativos de investimento.

A empresa foi lançada em setembro de 2019 e atualmente possui 12 funcionários e 50 clientes.

Maira, que trabalhava na área de empréstimos, estava muito familiarizado com seu funcionamento. Ele então conheceu seu cofundador John Grundström, que havia criado a Instantor, uma plataforma de open banking da Suécia que foi adquirida pela Tink. Considerando seus históricos que se complementam, eles decidiram abrir uma empresa juntos.

A empresa planeja utilizar os recursos da rodada para se expandir para o México e para a Costa Rica, além de aumentar as vendas na Colômbia.

PUBLICIDADE

Você tem alguma notícia sobre financiamento? Entre em contato: funding@bloomberglinea.com

Leia também

Doxy.me, plataforma de telemedicina gratuita, se expande para AL

Marcella McCarthy

Marcella McCarthy (Brasil)

Jornalista americana/brasileira especializada em tech e startups com mestrado em jornalismo pela Medill School na Northwestern University. Cobriu America Latina, Healthtech e Miami para o TechCrunch e foi fundadora e CEO de um startup Americano na área de EdTech. Baseada em Miami.

Bianca Carlos

Bianca Carlos

Localization Specialist na Bloomberg Línea. Formada em Tradução pela Universidade Estadual Paulista (Unesp), conta com uma década de experiência, principalmente em material jurídico e técnico.