promo
Mercados

Petróleo mantém preço mesmo após anúncio de liberação de reservas

Investidores esperavam que países consumidores de petróleo como EUA, Japão, Coreia do Sul e Índia liberassem mais barris

Tubería de Petróleo
Tempo de leitura: 2 minutos

Bloomberg — Os preços do petróleo desta quarta (24) mantinham-se no pico de terça-feira, mesmo após o anúncio da liberação coordenada de reservas estratégicas de petróleo pelos EUA e outros grandes consumidores.

Os futuros do Brent eram negociados em torno de US$ 82 o barril, depois de subir 3,3% na terça-feira. A liberação total das reservas estratégicas pelos EUA, China, Japão, Índia e Coreia do Sul foi menor do que muitos analistas e traders esperavam.

Os EUA também confirmaram na terça que seus barris - que compõem a maior parte do lançamento - serão em sua maioria ácidos ou com alto teor de enxofre. Isso faz pouco para resolver o problema de escassez de petróleo doce (sweet), que contém baixo teor de enxofre.

“Isso fará pouco para aliviar o aperto em curso do petróleo cru doce”, escreveram analistas da Energy Aspects em relatório. “O esforço liderado pelos EUA para reduzir os preços do petróleo no curto prazo levará a preços mais altos no próximo ano.”

O foco agora se volta para Organização dos Países Exportadores de Petróleo e como o grupo responderá à mudança de alguns de seus maiores clientes. Antes do anúncio, a aliança disse que o lançamento não se justifica pelas atuais condições de mercado, e eles podem reconsiderar os planos de adicionar mais oferta em uma reunião mensal na próxima semana.

Veja mais: Índia planeja vender 5 milhões de barris de petróleo de reservas

As negociações sobre o acordo nuclear com o Irã estão programadas para começar na próxima semana e, se bem-sucedidas, ainda têm potencial para adicionar suprimentos extras ao mercado. Um diplomata russo deu a entender na quarta-feira a dificuldade de ressuscitar o acordo, no entanto, tweetando que “debates acalorados parecem inevitáveis”.

Preços

  • West Texas Intermediate caía 0,4% para US$ 78,18 o barril às 11:01, horário de Londres.
  • Brent recuava 0,6% para US$ 81,85 o barril

Dos 50 milhões de barris liberados pelos EUA, 32 milhões serão emitidos da Reserva Estratégica de Petróleo, enquanto os 18 milhões restantes virão de uma liberação acelerada de vendas previamente autorizadas, disse a Casa Branca em uma declaração terça-feira. Um alto funcionário do governo disse que os barris podem começar a ser liberados em meados de dezembro.

“Ao liberar reservas do SPR, basicamente você está apenas diminuindo o colchão que você tem no caso de uma crise real”, disse Neil Beveridge, analista sênior da Sanford C. Bernstein, em uma entrevista à Bloomberg Television. “Não faz realmente uma grande diferença fisicamente no mercado hoje, mas provavelmente só tornará as coisas piores, em vez de melhorar, no futuro.”

Leia também