PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Mercados

JPMorgan vai reembolsar até US$ 5 mil por despesa com quarentena

Todos os funcionários em Hong Kong podem pedir o reembolso dos custos após viagens para visitar parentes próximos

Jamie Dimon, do JP Morgan: agradecimento aos funcionários pela dedicação durante a pandemia
Por Cathy Chan
22 de Novembro, 2021 | 07:39 pm
Tempo de leitura: 1 minuto

Bloomberg — O JPMorgan Chase ofereceu reembolsar funcionários de Hong Kong em até US$ 5.000 para compensar despesas com quarentenas impostas pelo centro financeiro, que segue com a política de Covid zero.

Todos os funcionários em Hong Kong com cargos de diretor executivo e abaixo da hierarquia podem pedir o reembolso dos custos para uma única estadia de quarentena após viagens para visitar parentes próximos, o que inclui cônjuges, parceiros, filhos, pais e avós, segundo memorando interno. Uma porta-voz de Hong Kong confirmou o conteúdo.

PUBLICIDADE

A medida segue uma visita a Hong Kong do CEO do JPMorgan, Jamie Dimon, que não precisou cumprir a rigorosa quarentena da cidade e disse que as restrições têm dificultado a retenção de talentos. A viagem de Dimon teve como objetivo agradecer os 4.000 funcionários do banco na cidade pela dedicação durante a pandemia.

“Reconhecemos que as custosas medidas de quarentena em vigor em Hong Kong associadas à Covid-19 impactaram muitos de vocês em relação às visitas a familiares e entes queridos no exterior”, disse no memorando Harshika Patel, chefe do JPMorgan em Hong Kong. O programa se aplica a funcionários em quarentena entre 1º de dezembro de 2021 e 30 de novembro de 2022, segundo o memorando.

O South China Morning Post divulgou o plano anteriormente. Uma estadia no hotel de quarentena designado por Hong Kong pode custar entre 500 dólares de Hong Kong (US$ 64,17) e 3.630 dólares de Hong Kong por noite para um quarto sem suíte.

PUBLICIDADE

O setor financeiro tem pressionado Hong Kong para flexibilizar as regras de quarentena e abandonar a política de Covid zero. Uma pesquisa revelou que quase metade dos principais bancos e gestores de ativos internacionais avalia transferir funcionários ou funções para outras cidades. Enquanto isso, a rival Singapura está abrindo rotas de viagem sem quarentenas depois de adotar uma abordagem para conviver com o coronavírus.

Veja mais em bloomberg.com