PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Mercados

Petróleo vai para a mínima de seis semanas com liberação na China

China e EUA podem acionar reservas para tentar diminuir os preços da gasolina, enquanto a demanda segue aumentando

Tubería de Petróleo
Tempo de leitura: 1 minuto

Bloomberg — Os preços do petróleo recuavam nesta quinta-feira (18), atingindo a mínima das últimas seis semanas após a China anunciar que começou a liberar petróleo de reservas estratégicas. O West Texas Intermediate caía 0,6%.

A mudança sugere que os dois maiores consumidores de petróleo do mundo estão dispostos a trabalhar juntos para controlar os custos de energia e segue uma cúpula virtual entre o presidente dos Estados Unidos Joe Biden e seu homólogo chinês, Xi Jinping, no início desta semana, na qual o fornecimento de energia foi discutido.

PUBLICIDADE

Com a economia global dominada por níveis crescentes de inflação, os principais consumidores de petróleo estão tentando baixar os preços. A Agência Internacional de Energia disse esta semana que parte do atual aperto no mercado está começando a diminuir à medida que a produção global aumenta, e o volume de petróleo transportado no mar aumentou drasticamente nas últimas semanas.

“Parece que o lançamento da reserva americana acontecerá em breve”, disse Giovanni Staunovo, analista de commodities do UBS Group AG. “É apenas uma questão de quando isso vai acontecer e quanto petróleo bruto eles devem liberar.”

Veja mais: China inicia liberação de reservas estratégicas de petróleo

PUBLICIDADE

Preços do petróleo

  • WTI caía 0,6% para US$ 77,91 o barril
  • Brent recuava 0,3% para US$ 80,06 o barril

A China esgotou os estoques nacionais de petróleo no início deste ano em um esforço para baixar os preços domésticos, e também fez uma venda privada com as reservas. Na quinta-feira, a porta-voz da agência de reserva disse que mais detalhes sobre o volume e a data de venda sairiam online no momento oportuno.

No mercado físico, o nervosismo sobre a demanda de petróleo da China está se espalhando à medida que os prêmios à vista na Rússia, favorecidos pelos processadores independentes chineses, caíram mais de US$ 1 o barril devido à probabilidade de outra investigação fiscal, de acordo com traders. No início desta semana, o contrato foi negociada com o prêmio mais alto desde janeiro de 2020.

Leia também

Perspectiva de mercado equilibrado pesa sobre minério de ferro

PUBLICIDADE