PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Internacional

China relaxará regras para venda de títulos por incorporadoras

Reguladores ajustam os controles sobre o setor imobiliário após a crise de crédito da Evergrande e de outras incorporadoras com grau especulativo

Tempo de leitura: 2 minutos

Bloomberg — A China planeja permitir que empresas imobiliárias retomem a emissão de títulos lastreados em ativos, o que encerra um congelamento de três meses do mercado à medida que autoridades se mobilizam para isolar incorporadoras com melhor nota de crédito da crise de liquidez do setor.

Reguladores financeiros disseram recentemente às bolsas chinesas que incorporadoras de “alta qualidade” podem solicitar a emissão de títulos lastreados em ativos (ABS, na sigla em inglês) para pagar dívidas pendentes, disseram pessoas a a par do assunto, que não quiseram ser identificadas. Uma unidade da incorporadora estatal China Resources Land planeja emitir 520 milhões de yuans (US$ 81,5 milhões) em ABS esta semana.

PUBLICIDADE

Nenhuma incorporadora vende ABS desde agosto, depois que o governo começou a restringir aprovações no segundo trimestre, disse uma das pessoas. Títulos lastreados em ativos emitidos pelo setor somavam o equivalente a US$ 152 bilhões em abril, de acordo com a GF Securities.

Veja mais: Evergrande paga juros atrasados em pelo menos dois títulos

A China também planeja flexibilizar uma regra que limita o valor da emissão de novos títulos interbancários por incorporadoras a 85% da dívida interbancária em aberto, disseram pessoas a par do assunto. O relaxamento da regra se aplicará apenas a emissores de alta qualidade, embora ainda não se saiba como essa classificação será definida.

PUBLICIDADE

Reguladores ajustam os controles sobre o setor imobiliário após a crise de crédito da China Evergrande e de outras incorporadoras com grau especulativo, que contagiou rivais com notas de crédito mais altas, bancos e até mesmo algumas empresas de tecnologia.

Embora não haja nenhuma indicação de que o governo de Xi Jinping tenha planos de uma grande reversão em sua campanha para controlar empresas imobiliárias altamente endividadas, autoridades tomaram várias medidas nas últimas semanas para fortalecer a confiança de investidores e garantir que players mais fortes do setor mantenham acesso ao financiamento.

Essas medidas ajudaram a frear a onda vendedora no mercado de títulos offshore da China, de US$ 827 bilhões, e prepararam o terreno para o mês mais forte de emissões de dívida por incorporadoras no mercado interbancário local em oito meses.

PUBLICIDADE

A Comissão Reguladora de Valores Mobiliários da China e a Associação Nacional de Investidores Institucionais do Mercado Financeiro, que supervisiona o mercado de títulos interbancários, não responderam de imediato a pedidos de comentário. A Bolsa de Valores de Xangai não quis comentar.

Veja mais em bloomberg.com

Leia também

Brasil ganha espaço dos EUA em vendas de soja para China

PUBLICIDADE