PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Negócios

Fórmula 1 deixará R$ 1 bilhão nos cofres de São Paulo

Grande Prêmio marca a retomada dos grandes eventos no Estado e na cidade e servirá de teste para Réveillon, Carnaval e festivais de música que devem ocorrer ao longo dos próximos meses, provavelmente sem a obrigatoriedade do uso de máscaras

GP São Paulo de Fórmula 1 marca a retomada dos grandes eventos à cidade e ao Estado e servirá de teste para outros que estão por vir
14 de Novembro, 2021 | 08:16 am
Tempo de leitura: 2 minutos

Bloomberg Línea — Desde a última sexta-feira, a cidade de São Paulo respira novamente os ares de um grande prêmio de Fórmula 1. A corrida que acontece na tarde de hoje marca a retomada dos grandes eventos internacionais não apenas na capital paulista, mas no Estado como um todo, com alta movimentação de turistas e uma expectativa de movimentar a economia em R$ 810 milhões nos quatro dias de evento, já que amanhã, é feriado.

Mas a expectativa do governo é de cifras ainda maiores. “Em uma semana, o Grande Prêmio de Fórmula 1 vai deixar nos cofres da cidade e do Estado de São Paulo cerca de R$ 1 bilhão, além de gerar oito mil empregos temporários. É o evento com melhor custo benefício de todos aqueles que o governo e a prefeitura de São Paulo apoiam aqui na cidade”, disse o governador de São Paulo, João Doria.

PUBLICIDADE

Dos 150 mil espectadores que devem passar pelo Autódromo de Interlagos, pelo menos 115 mil são de não residentes da capital. Para tentar manter o controle sanitário, o protocolo contra a Covid estabelece o uso obrigatório de máscaras, apresentação do comprovante de vacinação com imunização completa ou um teste com resultado negativo. Os dados de vacinação divulgados pelo governo indicam que 90% da população adulta do Estado já está totalmente imunizada.

Veja mais: 7 motivos para novembro ser o melhor mês desde início da pandemia

Mas não é apenas no GP que o governo está mirando. No último dia 11 foi lançada uma campanha publicitária para atrair turistas para o Estado. A peça de 30 segundos será veiculada em redes sociais e na televisão até hoje e reforça a vacinação e a hospitalidade do Estado.

PUBLICIDADE

A estratégia tem em vista uma sequência de grandes eventos que ainda estão por vir. O Réveillon na Paulista está confirmado e sendo planejado. Os preparativos do carnaval de 2022, no fim de fevereiro, também estão em curso e os ingressos para o festival Lollapalooza, no fim de março, começam a ser vendidos em três dias.

Veja mais: Com avanço de vacinação, Doria fala em retomada de grandes eventos e prevê o ‘melhor Natal de todos os tempos’

Se para a Fórmula 1 não foi possível, a expectativa é que para os próximos grandes eventos de São Paulo o uso de máscara já não será mais obrigatório em lugares públicos. A prefeitura de São Paulo já informou que fará uma nova avaliação dos indicadores epidemiológicos no início de dezembro para liberar o uso da máscara e o governo do Estado também já sinalizou que pretende também retirar a obrigatoriedade.

“Nós temos vários eventos importantes. O Réveillon em São Paulo, agora teremos provavelmente já sem máscaras, dado a evolução da vacinação, redução de internação, redução de leitos de UTI e felizmente de óbitos. O carnaval deverá ter mais de 13 milhões de pessoas em 10 dias. Somado ao Réveillon, tudo isso vai realimentando o setor de serviços e comércio, a economia criativa, a gastronomia, a hotelaria e o turismo como um todo”, disse Doria.

PUBLICIDADE

Leia também

O que significam as regras do mercado de carbono criadas na COP-26

Alexandre Inacio

Alexandre Inacio

Jornalista brasileiro, com mais de 20 anos de carreira, editor da Bloomberg Línea. Com passagens pela Gazeta Mercantil, Broadcast (Agência Estado) e Valor Econômico, também atuou como chefe de comunicação de multinacionais, órgãos públicos e como consultor de inteligência de mercado de commodities.