ESG

Drones levam vacina da Pfizer a lugares remotos na África

A cada quatro minutos, do amanhecer ao anoitecer, drones operados pela Zipline deixarão os centros de distribuição com as vacinas

Zipline lança pacote com vacinas perto de um centro de saúde em Gana
Por Riley Griffin
14 de Novembro, 2021 | 04:21 pm
Tempo de leitura: 2 minutos

Bloomberg — Sobre as densas florestas e fazendas de cacau da região de Ashanti, em Gana, uma frota de drones zumbia a caminho do distrito central de Bosomtwe. Ao chegar ao destino no domingo, o veículo vermelho e branco lançou pacotes térmicos de paraquedas contendo a carga há muito aguardada pela comunidade de Kokodei: frascos com a vacina da Pfizer contra a Covid-19.

Nos próximos dias, esses drones vão lançar dezenas de milhares de doses desenvolvidas pela Pfizer e BioNTech em algumas das zonas rurais mais remotas e acidentadas de Gana, como parte da iniciativa para fornecer acesso mais equitativo às vacinas. A cada quatro minutos, do amanhecer ao anoitecer, drones operados pela Zipline deixarão os centros de distribuição com as vacinas. Sua missão é levar doses a 40% da população de Gana.

Esta não é a primeira vez que a Zipline trabalha com vacinas e suprimentos para tratamento da Covid, mas o imunizante de RNA mensageiro, altamente eficaz, exige condições rigorosas de armazenamento em temperaturas ultrabaixas. Até que estejam prontas para uso, as doses da Pfizer-BioNTech devem ser armazenadas em temperaturas de -90C negativos. Gana está entre os muitos países de renda baixa e média que não possuem equipamento e infraestrutura para armazenar e entregar essas doses.

Veja mais: Vacinados têm 16 vezes menos chances de morrer de Covid, mostra estudo

PUBLICIDADE

“Quando você sai da cidade, chega a lugares onde fazer entregas pode ser um pesadelo”, disse o vice-presidente sênior da Zipline para a África, Daniel Marfo, em entrevista. “Esta é realmente a etapa final: lugares onde o acesso rodoviário é terrível, onde as mudanças das condições climáticas podem isolar comunidades, onde rios ou lagos separam as pessoas da área continental.”

“Quando você sai da cidade, chega a lugares onde fazer entregas pode ser um pesadelo”dfd

O governo dos EUA doou as doses da Pfizer-BioNTech por meio da Covax, programa apoiado pela Organização Mundial da Saúde, e Gana recorreu à Zipline para fazer as entregas. No total, a startup transportará 50 mil doses da Pfizer-BioNTech em nove distritos da região de Ashanti - conhecida pelo artesanato de ouro, cacau, café e fazendas de óleo de palma, um lago meteorítico e chuvas fortes - além de outros distritos mais ao norte e oeste.

O programa é um passo importante para aumentar a imunidade à Covid ao redor do mundo, não apenas em países ricos, que têm sido criticados por acumular vacinas, particularmente as de RNA mensageiro fabricadas pela Pfizer-BioNTech e Moderna. Embora os EUA tenham prometido doar mais de 1 bilhão de doses a países mais pobres, muitos continuam sem acesso. As empresas também foram criticadas por não disponibilizarem as doses de maneira mais ampla.

Funcionário da Zipline coloca um pacote com vacinas em um dronedfd

Até o momento, Pfizer e BioNTech distribuíram 2 bilhões de doses da vacina globalmente, e um terço foi para países de renda baixa e média. Até o final de 2022, os parceiros se comprometeram a distribuir 2 bilhões de doses no total para esses países. A Zipline fará parte desse esforço, com capacidade para operar mais de cem voos por dia. A Moderna também intensificou as medidas para aumentar o acesso. Na quinta-feira (11), a empresa disse que está vendendo doses para a União Africana por US$ 7, menos do que cobrou de alguns países no passado.

Veja mais em bloomberg.com

PUBLICIDADE